PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Medvedev: Rússia não se importa se G7 não reconhece novas fronteiras

Mulher do lado de fora de sua casa destruída após bombardeio russo na vila de Bezruky, na região de Kharkiv - REUTERS/Ricardo Moraes
Mulher do lado de fora de sua casa destruída após bombardeio russo na vila de Bezruky, na região de Kharkiv Imagem: REUTERS/Ricardo Moraes

Do UOL, em São Paulo*

14/05/2022 18h08Atualizada em 14/05/2022 18h08

O ex-presidente russo e vice-chefe do conselho de segurança, Dmitry Medvedev, disse neste sábado (14) que a Rússia não se importa se o G7 reconhece novas fronteiras.

"Vamos dizer o mínimo: nosso país não se importa com o não reconhecimento de novas fronteiras pelo G7. A verdadeira vontade das pessoas que vivem lá é importante. Não esqueçam o precedente de Kosovo, amigos ocidentais", informou Medvedev em seu canal oficial do Telegram.

Mais cedo, o G7, conhecido como grupo das economias desenvolvidas do mundo, disse que "nunca reconhecerá" as fronteiras que a Rússia deseja impor em meio a guerra na Ucrânia.

"Nunca reconheceremos as fronteiras que a Rússia tenta mudar com sua intervenção militar", afirmaram os ministros das Relações Exteriores do G7. O grupo é formado por Estados Unidos, Itália, França, Japão, Canadá, Reino Unido e Alemanha.

Os ministros voltaram a pedir à Rússia que "acabem com a guerra que começou sem provocação (por parte da Ucrânia) e com o sofrimento trágico e as perdas de vidas humanas que continua provocando".

Medvedev rebateu as declarações e disse que Kiev, capital da Ucrânia, continuará recebendo armas "enquanto for necessário".

"O G7 continuará travando uma guerra secreta com a Rússia, em vez de lidar com problemas com combustível e comida para seus moradores descontentes", afirmou o ex-presidente russo.

*Com informações da AFP