Conteúdo publicado há 4 meses

Reféns libertados pelo Hamas chegam a Israel após acordo de trégua

Os primeiros reféns libertados pelo Hamas após acordo com Israel chegaram ao país 49 dias depois do início do conflito. Além dos 13 israelenses, também foram liberados outros 10 tailandeses e um filipino hoje. Todos tinham sido raptados no dia 7 de outubro.

O que aconteceu

O grupo foi colocado primeiro em ambulâncias da Cruz Vermelha a caminho de Khan Younis, no sul de Gaza, para realizarem a passagem de Rafah para o Egito. A informação foi confirmada no grupo de notícias do Hamas no Telegram.

Eles já estão em Israel e "devem se reunir com as famílias" em breve, informou o perfil oficial do governo israelense nas redes sociais. Os militares israelenses publicaram uma nota pedindo ao público por "paciência e sensibilidade, e respeito à privacidade dos reféns libertados e da família deles".

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Qatar, Majed al-Ansari, que é mediador do acordo, explicou quem são os reféns libertados: "Os libertados incluem 13 cidadãos israelenses, alguns dos quais com dupla cidadania, além de 10 cidadãos tailandeses e um cidadão filipino", escreveu.

Em Israel, os reféns serão encaminhados para hospitais. O Ministério da Saúde informou que o Soroka Medical Center, o Schneider Children's Medical Center, o Shamir Medical e o Wolfson Medical Center estão preparados para receber os 24 reféns libertados, segundo informou o jornal Times Of Israel.

Entre os reféns estão quatro cidadãos alemães, informou a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock. A ministra não deu detalhes sobre essas pessoas, mas todos têm dupla cidadania israelense-alemã. "Gostaria de agradecer a todos que moveram montanhas nas últimas semanas", afirmou, em publicação no X.

Acordo e libertação de palestinos

Pessoas aguardam a liberação de palestinos detidos do lado de fora da prisão de Ofer, na Cisjordânia
Pessoas aguardam a liberação de palestinos detidos do lado de fora da prisão de Ofer, na Cisjordânia Imagem: 24.nov.2023-Jaafar Ashtiyeh/AFP
Continua após a publicidade

Do lado israelense, 39 prisioneiros palestinos foram libertados. No grupo estão 24 mulheres e 15 adolescentes - eles foram levados à prisão de Ofer, na Cisjordânia, e passam por exames de saúde junto a funcionários da Cruz Vermelha antes da libertação.

Hamas e Israel firmaram um acordo de trégua de quatro dias em troca de liberação mútua de prisioneiros. Israel concordou em libertar cerca de 150 palestinos que estavam em prisões —a maioria deles, mulheres e menores de idade.

Ao todo, cerca de 240 pessoas são feitas reféns do Hamas em Gaza, desde 7 de outubro, quando foram realizados os primeiros ataques do Hamas no sul de Israel.

A Cruz Vermelha Internacional confirmou a operação: "A dor profunda que os membros da família separados de seus entes queridos sentem é indescritível. Estamos aliviados com o fato de que alguns serão reunidos após uma longa agonia", disse Fabrizio Carboni, diretor regional do Comitê Internacional da Cruz Vermelha para o Oriente Próximo e Médio.

Um veículo da Cruz Vermelha leva reféns do Hamas para a fronteira de Rafah após acordo de libertação em 24 de novembro de 2023
Um veículo da Cruz Vermelha leva reféns do Hamas para a fronteira de Rafah após acordo de libertação em 24 de novembro de 2023 Imagem: IBRAHEEM ABU MUSTAFA/REUTERS

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, comemorou a libertação e garantiu que Israel está "empenhado em devolver todos": "Este é um dos objetivos da guerra e estamos empenhados em alcançar todos os objetivos da guerra", afirmou.

Continua após a publicidade

O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, disse que o grupo está empenhado em cumprir os termos da trégua, "desde que Israel faça o mesmo". Um vídeo curto foi publicado em um canal do Hamas no Telegram.

"O movimento também saúda a continuação dos bons ofícios e os esforços contínuos para acabar com a agressão sionista contra o nosso povo", diz uma mensagem que acompanha o vídeo.

Brinquedos e psicólogos para receber os reféns

Brinquedos em instalações para reféns libertados em Israel
Brinquedos em instalações para reféns libertados em Israel Imagem: 24.nov.2023-Reprodução/IDF

Forças de Defesa israelenses publicaram nas redes sociais um vídeo mostrando instalações preparadas para receber cidadãos sequestrados pelo Hamas. Eles receberão atendimento médico e psicológico e poderão ligar para suas famílias.

Imagens também mostram brinquedos que serão disponibilizados a eles. A expectativa é que haja muitas crianças no grupo.

Continua após a publicidade

Tailandeses também são libertados

O primeiro-ministro tailandês, Srettha Thavisin, afirmou que 12 cidadãos tailandeses mantidos reféns pelo Hamas em Gaza foram libertados. Estes, porém, não fazem parte do acordo entre Israel e Hamas para o cessar-fogo.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Qatar, Majed al-Ansari, que é mediador do acordo, no entanto, disse que são 10 cidadãos tailandeses e um cidadão filipino.

Funcionários da embaixada da Tailândia estavam "a caminho para buscá-los", mas não especificou onde estavam os reféns. Segundo o Serviço de Informação do Estado Egípcio, "os esforços egípcios intensivos resultaram na libertação de 12 cidadãos tailandeses", apurou a BBC.

Ajuda humanitária em Gaza

Ao menos oito caminhões já entraram na Faixa de Gaza desde que o cessar-fogo entre Israel e Hamas começou.

Continua após a publicidade

São quatro caminhões de combustível e quatro de gás de cozinha para organizações de ajuda humanitária da ONU (Organização das Nações Unidas), afirma o Coordenador de Atividades Governamentais nos Territórios do Ministério da Defesa. As cargas entraram na parte sul da Faixa de Gaza através da passagem de Rafah, no Egito. "O combustível e o gás de cozinha destinam-se ao funcionamento de infraestruturas humanitárias essenciais na Faixa de Gaza", disse.

Deixe seu comentário

Só para assinantes