Venezuela pode invadir Guiana pelo Brasil: qual é o nosso poder de fogo?

A disputa territorial entre Venezuela e Guiana está gerando tensão na América do Sul. Caso Caracas decida invadir a região de Essequibo com uso de força militar, uma das opções de entrada passaria pelo território brasileiro.

Por terra, as tropas venezuelanas teriam que cruzar a fronteira com o Brasil para, então, entrar na Guiana. Em meio às tensões na região, o Exército brasileiro já colocou cerca de 130 militares para monitorar a fronteira venezuelana na última semana, e afirmou estar "preocupado" com o "clima de tensão".

Qual é o poder de fogo do Brasil?

Um ranking que classifica as maiores forças militares do mundo em 2023 colocou o Brasil em 12º lugar — de um total de 145. A lista, feita pelo site internacional Global Fire Power, é baseada em um indicador exclusivo do portal (o PowerIndex, ou 'PwrIndx'), que classifica os efetivos militares ativos disponíveis por país.

O Brasil entrou na lista em janeiro de 2022. Segundo dados da pesquisa, o país conta com algumas características excelentes: número da população, submarinos, aeronaves para missão especial, reservas militares, forças paramilitares e produção de óleo.

Poder de fogo em números. Em relação aos veículos terrestres, o Brasil tem hoje, segundo relatório: 466 tanques, 41.516 veículos blindados, 136 veículos de artilharia com propulsão própria, 546 itens de artilharia rebocáveis e 78 veículos com lançadores de mísseis.

Já na lista específica da Global Fire Power sobre as maiores forças aéreas do mundo, o Brasil aparece na 15ª posição. Com uma frota de 665 aeronaves, o país á atualmente a maior força aérea da América Latina, segundo dados do ranking. Ao todo, a Força Aérea Brasileira tem 665 aeronaves, com destaque para os 171 helicópteros, 209 aeronaves de treinamento, 125 aeronaves de transporte, 42 caças/interceptadores e 76 de ataque.

Números da Marinha. Já a Marinha possui 22 navios de patrulha, sete submarinos, seis fragatas, duas corvetas e um porta helicópteros, também de acordo com a lista.

Poder de Venezuela e Guiana

A disputa territorial entre Venezuela e Guiana contrasta dois países completamente opostos do ponto de vista militar. A Venezuela, nesse caso, pode ser considerada uma potência regional se comparada ao vizinho — no ranking citado, em que o Brasil está em 12° lugar, o país liderado por Maduro aparece em 52°.

Continua após a publicidade

Mais de 100 mil militares venezuelanos. As Forças Armadas da Venezuela têm, segundo dados do IISS (Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, de Londres), 123 mil militares à disposição para combate, além de um efetivo de milicianos estimado em 220 mil.

Apoio da Rússia e da China. Desde 1998, quando Hugo Chávez assumiu o poder, o país passou a receber equipamentos militares russos e chineses. Entre eles, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo, estão: caças avançados, sistema antiaéreo, tanques, blindados, obuseiros, rifles de assalto, radares, aviões de treinamento, entre outros itens.

Diferente da Venezuela, a Guiana não tem Forças Armadas de fato, mas sim uma Força de Defesa que mais se parece com um dispositivo policial.

Poucos militares e poucos equipamentos. Também conforme divulgado pelo IISS, a Guiana conta com 3.400 homens e alguns poucos equipamentos, como por exemplo seis blindados de reconhecimento EE-9 Cascavel.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes