Conteúdo publicado há 2 meses

Josias: Lula escolhe pior caminho ao dobrar aposta em crise com Israel

Lula acirra a crise diplomática com Israel ao convocar o embaixador brasileiro em Tel Aviv de volta ao país, afirmou o colunista Josias de Souza no UOL News desta terça (20).

Lula tinha duas alternativas: ou reconhecia seu equívoco ou dobrava a aposta. Ele resolveu dobrar a aposta. As evidências mostram que este foi o pior caminho para ele, para o Brasil e para a diplomacia brasileira.

Ele poderia ter respondido ao gesto do governo israelense com a convocação do embaixador de Israel no Brasil para se explicar ao Itamaraty. Ficaria na mesma proporção. Mas ele fez mais do que isso e chamou o embaixador brasileiro em Israel. Lula poderia ter optado pelo caminho de dar o braço a torcer, mas adotou um caminho sem volta e isso lhe tem causado grandes prejuízos.

Lula retirou o Itamaraty da rota e o colocou em um caminho perigoso. Isolou o Brasil em um assunto no qual estava em uma posição muito adequada. O Brasil ficou deslocado nessa reunião do G-20, em prejuízo das posições do Lula. Josias de Souza, colunista do UOL

Na visão de Josias, Lula colhe consequências negativas tanto internas como externas por sua declaração, já que reaviva o bolsonarismo e não encontra tanto respaldo internacional.

Os efeitos são devastadores. Por ora, Lula não teve nada de positivo. Ele acirrou a oposição e está levando uma surra nas redes sociais, decorrente da mobilização da máquina bolsonarista.

Bolsonaro, que estava no córner respondendo pelas tentativas de golpe, vê sua milícia deixar Lula no córner por conta desse deslize verbal. Lula não teve nenhum benefício com esse arroubo retórico e teve prejuízo político interno e internacional. Deixou uma posição adequada e confortável do Brasil e adotou um radicalismo que não tem eco na comunidade internacional. Josias de Souza, colunista do UOL

Lafer: Lula criou crise com Israel e cabe a ele desatar esse nó

Continua após a publicidade

Cabe ao próprio Lula resolver a crise diplomática que criou com Israel após comparar as mortes na Faixa de Gaza ao Holocausto, disse Celso Lafer. O ex-chanceler não vê chances de o presidente se desculpar pela polêmica declaração.

Como foi o Lula quem criou esse incidente diplomático e gerou esta crise, cabe a ele e ao governo procurar dirimi-la e desatar esse nó. Esta é uma responsabilidade do presidente e dos seus assessores. Eu não me lembro de o Lula ter pedido qualquer tipo de desculpa no correr da sua longa trajetória. Se ele não pediu desculpas em relação muitos problemas da política interna e internacional, não fará isso agora. Celso Lafer, ex-chanceler

Sâmia: Pedido de impeachment após fala de Lula sobre Israel é patético

Pedir o impeachment de Lula com base na fala de Lula sobre Israel é "patético", afirmou a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP). A parlamentar avaliou a declaração do presidente como "contundente e corajosa" e a vê com "efeito positivo".

Acho o movimento de pedido de impeachment um pouco patético. Acho natural que aconteça, principalmente porque ele foi impulsionado pelos bolsonaristas e parlamentares do PL, que estão em um momento de crise muito profunda. Eles se utilizam desse contexto para tentar disputar a narrativa e virar o jogo político. Mas não tem reverberação no Congresso. Por ora, é uma organização daqueles de quem já se espera esse tipo de postura. Sâmia Bomfim, deputada federal (PSOL-SP)

Continua após a publicidade

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes