Conteúdo publicado há 2 meses

Homem assume que roubou privada de ouro avaliada em R$ 30 milhões

Um homem de 39 anos se declarou culpado pelo roubo de uma privada de ouro de um palácio no Reino Unido.

O que aconteceu

James Sheen, 39, assumiu a culpa em julgamento. Ele tinha sido preso com outras três pessoas após o sumiço da privada do Palácio de Blenheim, em 2019. A obra artística, instalada dias antes, estava avaliada em £ 4,8 milhões (aproximadamente R$ 30 milhões).

Homem está preso por outros crimes. Ele cumpre uma sentença de 17 anos e entrou no julgamento, realizado em um tribunal de Oxford, por videochamada.

Preso já roubou outros objetos em exposição. Ele foi condenado por levar troféus do Museu Nacional de Corridas de Cavalo, em Suffolk. O material era avaliado em £ 400 mil (equivalente a R$ 2,5 milhões).

Outros três homens foram acusados pelo crime. Eles declararam que eram inocentes e devem passar por julgamento em fevereiro, afirmou o canal CNN.

Relembre roubo

A privada foi levada do Palácio de Blenheim, no sul da Inglaterra, em setembro de 2019. Ela fazia parte de uma exposição dedicada ao artista italiano Maurizio Cattelan e era feita com ouro 18 quilates.

Objeto era funcional. Ele tinha um assento, um vaso e uma caixa acoplada e foi exposto pela primeira vez em Nova York, quando visitantes do museu de Guggenheim podiam agendar um horário para usar o vaso, com limite de três minutos, para evitar filas.

Ladrões entraram no palácio de madrugada. A polícia afirmou que ladrões invadiram o museu de madrugada e deixaram o local com o objeto pela manhã, causando danos e uma inundação.

Continua após a publicidade

Obra ainda não foi recuperada. Autoridades anunciaram recompensa de £ 100 mil para aqueles que tivessem pistas sobre o paradeiro da privada, mas a obra de arte ainda não foi encontrada, informou o Washington Post em novembro de 2023.