Conteúdo publicado há 2 meses

México irá ao Tribunal Internacional de Justiça por invasão à embaixada

O México deve recorrer ao Tribunal Internacional de Justiça nesta segunda-feira (8) contra a invasão da embaixada do país em Quito pela polícia do Equador.

O que aconteceu

A declaração foi dada pela ministra de Relações Exteriores do México, Alicia Bárcena. De acordo com a agência de notícias RFI, ela expressou a intenção durante o encontro com o corpo diplomático mexicano que estava no Equador e deixou o país neste domingo (7).

A partir de amanhã iremos ao Tribunal Internacional de Justiça onde apresentaremos este triste caso (...). Acreditamos que podemos ganhar o nosso caso rapidamente.
Alicia Bárcena

O Tribunal Internacional de Justiça é o mais alto órgão judicial das Nações Unidas. Fundado em 1945 com sede no Palácio da Paz, em Haia, nos Países Baixos, ele é responsável por julgar casos que envolvem Estados que compõem a ONU.

Entenda o caso

A polícia do Equador prendeu o ex-vice-presidente equatoriano Jorge Glas na invasão à embaixada do México. O político estava lá desde dezembro e havia recebido asilo político do México horas antes da ação.

Glas, que atuou no governo de Rafael Correa (2007-2017), cumpriu pena pelo escândalo de propinas da Odebrecht, mas enfrenta outro mandado de prisão por supostamente desviar fundos destinados a trabalhos de reconstrução após um terremoto em 2016.

O Equador classificou o asilo concedido a Glas como "ilegal". O anúncio da concessão a Glas aconteceu um dia depois que o governo do Equador declarou "persona non grata" a embaixadora mexicana Raquel Serur e ordenou sua saída do país.

Após o ocorrido, o México rompeu relações diplomáticas com o Equador. Além disso, diversos países da América Latina condenaram a ação. O Brasil, por meio do Itamaraty, rechaçou o ato "nos mais firmes termos".

Deixe seu comentário

Só para assinantes