Conteúdo publicado há 2 meses

Israel diz que proposta de cessar-fogo está 'longe' de suas exigências

O governo de Benjamin Netanyahu afirmou, nesta segunda-feira (6), que a proposta de cessar-fogo aceita pelo Hamas está "longe das exigências de Israel".

O que aconteceu

Israel não gostou dos termos do acordo. Apesar disso, o país disse que enviará uma delegação com mediadores para discutir todas as possibilidades, mas ressaltou que continuará com a operação em Rafah, que fica no sul de Gaza.

O país enviará uma delegação [...] com os mediadores para esgotar as possibilidades de alcançar um acordo" de cessar-fogo, "mesmo que a proposta do Hamas esteja longe das exigências essenciais. Gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em comunicado

Líder do Hamas, Ismail Haniyeh, aceitou proposta de cessar-fogo nesta segunda-feira (6). Ele enviou mensagem ao primeiro-ministro do Qatar, um dos mediadores do conflito, concordando com os termos do acordo, que não foram divulgados publicamente.

Ismail Haniyeh, chefe do gabinete político do movimento Hamas, conversou por telefone com o primeiro-ministro do Qatar, Xeque Mohammed bin Abdul Rahman Al Thani, e com o ministro egípcio da Inteligência, Abbas Kamel, e os informou da A aprovação do movimento Hamas à sua proposta relativa ao acordo de cessar-fogo.
Mensagem do Hamas, na íntegra

Qatar, Estados Unidos e Egito têm atuado para tentar obter cessar-fogo na guerra. O conflito entre Hamas e Israel foi deflagrado no dia 7 de outubro de 2023. Ontem, o Ministério da Saúde do Hamas, que governa a Faixa de Gaza, informou a morte de 34.683 pessoas no enclave palestino desde o início da guerra. No total, 78.018 pessoas ficaram feridas em quase sete meses de conflito

Israel quer a libertação de reféns em troca de prisioneiros detidos. Já o Hamas pedia o fim da ofensiva de Israel e uma retirada israelense total do território destruído.

Israel ataca Rafah

Militares israelenses realizaram ataques aéreos sobre a cidade. O ataque ocorreu horas depois de Israel ter dito aos palestinos para se retirarem de partes da região, onde mais de um milhão de pessoas desalojadas pela guerra têm se abrigado.

Continua após a publicidade

Esta noite, também apelamos àqueles que permanecem em áreas específicas que comunicamos e definimos através de todos os meios - rádio, internet e panfletos - no leste de Rafah, a avançarem em direção à área humanitária expandida em Al-Mawasi e Khan Yunis, onde receberão ajuda humanitária completa e onde serão fornecidos água, alimentos, equipamento médico e abrigo. Porta-voz das Forças de Defesa de Israel, contra-almirante Daniel Hagari

Estados Unidos fazem apelo a Israel. Os americanos pediram para que o governo Netanyahu não ataque a cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, após a sinalização do Hamas para a trégua temporária.

Posso confirmar que o Hamas deu uma resposta. Estamos examinando essa resposta agora e conversando com nossos parceiros na região. Matthew Miller, porta-voz do Departamento de Estado

*Com informações da agência AFP

Deixe seu comentário

Só para assinantes