Conteúdo publicado há 26 dias

Irã ordena investigação sobre acidente de helicóptero que matou presidente

O chefe do Estado-Maior do Exército do Irã, Mohammed Bagheri, ordenou que seja instaurada uma investigação para determinar as circunstâncias da queda do helicóptero que matou o presidente do país, Ebrahim Raisi, neste domingo (19).

O que aconteceu

Mohammed Bagheri determinou que "um comitê do alto escalão" das forças iranianas investigue o que pode ter provocado o acidente fatal, segundo informações da IRNA, agência de notícias do país.

Ebrahim Raisi voltava de uma reunião perto da fronteira com o Azerbaijão quando aconteceu o acidente. A aeronave fez um pouso forçado em Jolfa, a cerca de 600 quilômetros de Teerã. Imagens divulgadas pela imprensa estatal mostram os destroços do helicóptero em uma região de mata.

O helicóptero levava quatro passageiros. Além de Raisi, estavam na aeronave o chanceler iraniano Hossein Amir-Abdollahian, o governador da província do Leste do Azerbaijão, Malek Rahmati, e o líder de oração de sexta-feira de Tabriz, Hojjatoleslam Al Hashem. Ninguém sobreviveu.

Mohammed Mokhber, 68, deve assumir como presidente interino do Irã. O anúncio da indicação foi feito por Ali Khamenei, líder supremo do país, nesta segunda-feira (20). A mensagem foi transmitida pelas agências de noticias estatais.

Uma nova eleição presidencial será feita no prazo de 50 dias. Conforme prevê a Constituição do Irã, o presidente interino, o presidente do parlamento e o chefe do poder judicial devem formar um conselho para convocar as eleições.

Líderes globais lamentaram a morte de Raisi. Diversos representantes de países do Oriente Médio, da União Europeia e chefes de grupos extremistas apoiados pelo Irã expressaram suas condolências e se solidarizam com os iranianos.

O Conselho de Segurança da ONU prestou uma homenagem ao presidente iraniano e respeitou um minuto de silêncio em sua memória durante reunião hoje.

Quem era Ebrahim Raisi

Considerado um ultraconservador, Raisi foi eleito em 18 de junho de 2021, no primeiro turno. As votações foram marcadas por uma abstenção recorde em eleições presidenciais e com a ausência de um opositor forte.

Continua após a publicidade
O presidente iraniano, Ebrahim Raisi
O presidente iraniano, Ebrahim Raisi Imagem: Presidência do Irã/WANA (Agência de Notícias da Ásia Ocidental)/Folheto via Reuters

Raisi nasceu em novembro de 1960 na cidade sagrada xiita de Mashhad, no nordeste do país. Ele fez carreira no Judiciário em cargos de procurador-geral entre 2014 e 2016, vice-chefe de Justiça de 2004 a 2014, e promotor e procurador adjunto de Teerã nas décadas de 1980 e 1990.

Ele substituiu o moderado Hasan Rohani. A principal conquista de Rohani em seus dois mandatos foi o acordo nuclear de 2015 entre o Irã e seis potências ocidentais. Rouhani ganhou de Raisi nas eleições presidenciais de 2017 e, após dois mandatos consecutivos, não pôde concorrer novamente.

Presidente do Irã participou do chamado "comitê da morte". O grupo de acusação foi responsável por executar milhares de presos políticos no país em 1988. Raisi está na lista de líderes iranianos que Washington sancionou por "cumplicidade" em "graves violações dos direitos humanos", acusações rejeitadas pelas autoridades de Teerã.

*Com informações da Ansa

Deixe seu comentário

Só para assinantes