Conteúdo publicado há 18 dias

Coreia do Norte dispara 'projétil não identificado', e Japão emite alerta

A Coreia do Norte disparou um "projétil não identificado" em direção ao mar, próximo a sua costa oeste, nesta segunda-feira (27), segundo informações das Forças Armadas da Coreia do Sul. Após o lançamento, o governo do Japão chegou a emitir um alerta aos moradores da Ilha de Okinawa.

O que aconteceu

Disparo de projétil foi informado pela Coreia do Sul. "A Coreia do Norte disparou um projétil não identificado em direção ao sul" sobre o Mar Amarelo, que se estende entre a China e a península coreana, segundo divulgou o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul.

Coreia do Norte havia notificado o Japão sobre novo satélite. No início do dia, a ditadura norte-coreana informou ao Japão que planeja lançar um satélite entre 27 de maio e 4 de junho, em uma provável tentativa de colocar em órbita um segundo satélite espião. O primeiro foi lançado em novembro, depois de várias investidas fracassadas.

Japão chegou a emitir alerta à Ilha de Okinawa, no sul do país. O aviso, que pedia aos moradores que buscassem abrigo, foi retirado pouco tempo depois. O governo agora diz não esperar que o míssil atinja o território japonês.

Cúpula trilateral

Seul, Pequim e Tóquio querem desnuclearização da Coreia do Norte. A exigência foi feita pelo presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk Yeol, e pelos primeiros-ministros da China e do Japão, Li Qiang e Fumio Kishida, durante a primeira reunião de cúpula entre os três países em quase cinco anos — em parte devido à pandemia, mas também às relações complexas.

Países também buscam evitar lançamento de satélite espião. Yoon e Kishida fizeram um apelo para que Pyongyang desista do lançamento, que, segundo o presidente sul-coreano, "mina a paz e a estabilidade regional e mundial". Yoon também pediu uma resposta internacional "decisiva" caso o líder norte-coreano, Kim Jong Un, prossiga com a ideia.

Governo norte-coreano fala em 'grave provocação política'. Segundo Pyongyang, a desnuclearização "violaria a posição constitucional do nosso país". "A 'desnuclearização completa da península coreana' já morreu teórica, prática e fisicamente", disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano, citado pela agência oficial de notícias KCNA.

(Com AFP e Reuters)

Deixe seu comentário

Só para assinantes