'Acabem com eles', escreve ex-candidata dos EUA em projétil de Israel

Nikki Haley, ex-candidata à indicação do Partido Republicano para a Casa Branca, escreveu a mensagem "Acabem com eles" em um projétil de artilharia do exército israelense. Ela visitou um posto das Forças de Defesa de Israel nesta terça-feira (28).

O que aconteceu

Ex-embaixadora dos Estados Unidos na ONU estava acompanhada do parlamentar israelense Danny Danon. Ele publicou imagens da visita de Haley nas redes sociais. Em uma das fotos, é possível ver o momento em que ela escreve com uma caneta em um projétil da artilharia de Israel. "Acabem com eles! Os Estados Unidos amam Israel", diz a mensagem.

Nikki Haley está em Israel para visitar os locais que foram alvo do atentado de 7 de outubro. Na ocasião, combatentes do grupo extremista Hamas mataram mais de 1.170 pessoas, a maioria civis, no sul de Israel, segundo um balanço da AFP com base em dados oficiais israelenses.

Ela visitou o Kibutz Nir Oz e o local do festival Nova, em Re'im, onde se encontrou com sobreviventes e moradores. "Quero que os israelenses saibam que vocês estão fazendo a coisa certa. Não deixe ninguém fazer você se sentir errado porque Israel não está errado nisso", disse Haley em entrevista coletiva na segunda-feira (27).

Sem apresentar provas, Haley culpou Irã, China e Rússia pelos ataques do Hamas. "O ataque do Hamas em 7 de outubro foi orquestrado pelo Irã. Foi ajudado pela inteligência russa. E foi alimentado por dinheiro da China. Não negue isso", afirmou Haley.

Nikki Haley anuncia que votará em Trump

A viagem de Haley ocorre em meio a especulações de que ela poderia ocupar uma vaga na chapa republicana como vice-presidente de Donald Trump. Questionada pela imprensa local sobre essa possibilidade, no entanto, Haley disse que "Trump deixou bem claro que não" receberá esse papel.

Nikki Haley no último dia 22 de maio votará em Trump nas eleições de novembro. "Coloco minhas prioridades em um presidente que apoie nossos aliados e exija responsabilidade de nossos inimigos, que garanta a segurança da fronteira - sem mais desculpas -, um presidente que apoie o capitalismo e a liberdade", disse em uma reunião de líderes conservadores.

Haley foi apelidada pelo ex-mandatário como "birdbrain", que literalmente significa "cérebro de passarinho". "Trump seria inteligente se aproximasse dos milhões de cidadãos que votaram em mim e continuam me apoiando e não desse por certo que eles vão estar com ele. E espero sinceramente que ele o faça", afirmou.

Continua após a publicidade

A ex-governadora da Carolina do Sul, de 52 anos, é popular entre os eleitores republicanos moderados e independentes. "Trump não tem sido perfeito nesses temas. Deixei isso claro muitas vezes. Mas [o democrata Joe] Biden tem sido uma catástrofe, por isso votarei em Trump", ressaltou.

Guerra teve início em outubro de 2023

A guerra entre Israel e Hamas teve início em 7 de outubro. Na ocasião, combatentes do Hamas mataram mais de 1.170 pessoas.

O Hamas sequestrou 252 pessoas. Israel afirma que 121 permanecem sequestradas em Gaza, das quais 37 teriam morrido.

Em retaliação, Israel prometeu "aniquilar" o Hamas e lançou uma ofensiva contra Gaza. Dados indicam que, até o momento, 35.984 palestinos morreram, a maioria mulheres e crianças, segundo o Ministério de Saúde de Gaza.

Não há previsão para o fim do conflito. As negociações indiretas, com mediação de Estados Unidos, Egito e Catar, estagnaram no começo de maio, pouco depois do início das operações terrestres em Rafah. Veículos de comunicação israelenses noticiaram que o chefe do Mossad - o serviço de inteligência de Israel-, David Barnea, acordou, durante reuniões em Paris, com o diretor da CIA, William Burns, e o primeiro-ministro catari, Mohamed bin Abdulrahman al Thani, um novo marco para os diálogos.

Continua após a publicidade

O presidente americano, Joe Biden, disse estar "comprometido com uma diplomacia de emergência" para conseguir um cessar-fogo e a libertação dos reféns. Funcionários cataris preveem se reunir com uma delegação do Hamas nos próximos dias, segundo o site de notícias americano Axios.

(Com AFP)

Deixe seu comentário

Só para assinantes