Topo

Sergipe decretará emergência em cidades atingidas por óleo no litoral

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

06/10/2019 10h39Atualizada em 07/10/2019 07h54

O governo de Sergipe planeja publicar amanhã no Diário Oficial do Estado decreto de situação de emergência nos municípios atingidos por petróleo.

As autoridades também pediram que as praias do estado não sejam frequentadas por conta da presença da substância tóxica e que a população não retire, por conta própria, nada da areia, mesmo que o ato tenha o intuito de ajudar.

As medidas tomadas foram tomadas por conta do surgimento de extensa mancha de óleo na praia dos Artistas, em Coroa do Meio.

Um gabinete de crise também foi montado para tratar sobre os assuntos relacionados à presença da substância, que atinge vários estados do Nordeste.

De acordo com a Adema (Administração Estadual do Meio Ambiente), além da capital Aracaju, outros cinco municípios foram atingidos pelo derramamento de óleo cru. São eles:

  • Na região Norte de Sergipe: Pacatuba, Pirambu e Barra dos Coqueiros
  • Na região Sul: Itaporanga e Estância

Amanhã, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é aguardado em Aracaju para visitar, com o governador Belivaldo Chagas (PSD), as áreas poluídas pelo óleo.

O ministro afirmou que duas equipes da pasta estão em Sergipe avaliando os danos causados.

Rio São Francisco

Manchas de óleo surgiram após a maré baixa deste sábado nas regiões próximas à foz do Rio São Francisco, tanto ao sul, em Sergipe, quanto ao norte, em Alagoas.

Pescadores filmaram uma extensa faixa de areia coberta de óleo na praia do Pontal do Peba, que fica na APA (Área de Proteção Ambiental) de Piaçabuçu (AL), ao norte da foz do Rio São Francisco.

O óleo também surgiu na praia de Ponta do Mangue, em Pacatuba (SE).

Ceará

Boletim de balneabilidade da Semace (Superintendência Estadual do Meio Ambiente) apontou que 11 trechos da zona leste da orla de Fortaleza estão impróprios para banho. A área inclui toda a praia do Futuro, uma das mais frequentadas na capital cearense.

Segundo a Semace, petróleo foi encontrado em dez dos onze trechos analisados.

"Na zona centro, a situação é favorável, com oito trechos próprios para banho, do total de nove examinados. Esta zona inclui as praias do Mucuripe, Meireles e de Iracema. Não houve coleta da água do mar no trecho que vai do espigão da avenida Rui Barbosa à rua José Vilar. Na zona oeste, que vai do Centro à Barra do Ceará, das dez praias analisadas, quatro dão condição de banho", informa a Semace.

A superintendência orienta que frequentadores da praia do Futuro observem a presença de óleo na areia, antes de adentrarem no mar.

"O óleo tem o agravante de ser classificado como material perigoso", afirma o diretor de Controle e Proteção Ambiental da Semace, Lincoln Davi.

"Como esse material pode aparecer e desaparecer da praia, conforme os dois movimentos diários da maré, pedimos que o banhista fique atento e evite o contato com o óleo", alerta.

Um mutirão de limpeza foi realizado na praia do Futuro, nos oito quilômetros que separam o Caça e Pesca e o Titanzinho.

"A ação de caráter preventivo pode voltar a ser realizada por uma equipe mantida de plantão na autarquia, sempre que for avistado óleo nas praias", informa a Semace.

Origem desconhecida

Manchas oleosas vêm poluindo as praias do nordeste há um mês e as autoridades não sabem quem causou o desastre ambiental, nem a origem do óleo.

A Petrobras afirma que o material trata-se de petróleo cru e que não é compatível com substratos extraídos no Brasil.

As primeiras manchas surgiram no litoral de Pernambuco, no início de setembro. Depois, material semelhante foi encontrado na Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e se espalhando para o Ceará, Piauí e Maranhão.

Por fim, o material chegou ao estado da Bahia na tarde de quinta-feira (3).

A lista de localidades oleadas feita pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), atualizada ontem, traz oito estados afetados. A nota técnica aponta que até agora já são 59 municípios e 124 praias oleadas. Oficialmente, segundo a lista do Ibama, 12 animais marinhos foram encontrados com óleo no nordeste.

Meio Ambiente