PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

STF: Queixa-crime do Greenpeace contra Salles será julgada no dia 20

Salles insinuou, sem apresentar provas, que a ONG teria relação com o petróleo que chegou a praias do Nordeste - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Salles insinuou, sem apresentar provas, que a ONG teria relação com o petróleo que chegou a praias do Nordeste Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Stella Borges

Do UOL, em São Paulo

13/11/2020 10h32

O STF (Supremo Tribunal Federal) vai julgar, a partir da próxima sexta-feira (20), em sessão virtual, a queixa-crime feita pela organização ambiental Greenpeace contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por difamação. A ministra Cármen Lúcia é a relatora da ação.

Em outubro do ano passado, Salles insinuou, sem apresentar provas, que a ONG teria relação com o petróleo que chegou a praias da região Nordeste.

Após o Greenpeace fazer um protesto, em que jogou tinta preta no Palácio do Planalto por causa do desastre ambiental, o ministro disse que não concederia uma audiência a representantes da ONG, pois não recebe "terroristas". Ele também acusou a ONG de "destruição de patrimônio público".

No processo, a defesa de Salles sustentou, entre outros, que as declarações dele "se legitimam" por artigo da Constituição que lhe garante liberdade de expressão.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, se manifestou pela rejeição da queixa-crime.

Meio Ambiente