PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Tartaruga gigante reaparece em praia do litoral paulista para pôr mais ovos

Tartaruga gigante foi vista em Itanhaém - Arquivo pessoal / Nicolas Schuckel
Tartaruga gigante foi vista em Itanhaém Imagem: Arquivo pessoal / Nicolas Schuckel

Maurício Businari

Colaboração para o UOL, em Santos

06/03/2021 17h26

Após duas semanas, uma tartaruga-de-couro reapareceu na noite de ontem (5), na praia do Satélite, em Itanhaém, no litoral paulista, para cavar mais um ninho e depositar ovos. Ela surgiu a cerca de dois quilômetros de distância da praia do Suarão, local onde havia feito o primeiro ninho, atraindo a curiosidade de turistas e moradores que caminhavam nas proximidades.

O animal, também conhecido como tartaruga gigante, pertence à espécie Dermochelys Coriácea, que atualmente corre risco de extinção. Com até 590 kg e podendo medir até dois metros de comprimento, pode viver até 300 anos.

Bacharel em Biologia Marinha e Água Doce pela Universidade de Kingston, na Inglaterra, a bióloga Cadidja Gomes explicou que, geralmente, quando estão em seu período reprodutivo, as fêmeas de tartarugas marinhas retornam às mesmas praias em que nasceram para cavar ninhos e depositar seus ovos. Esse comportamento de retorno é conhecido por filopatria natal.

Segundo Cadidja, esses animais vêm ao litoral para nidificação (escolher local, escavar ninho e botar os ovos) e normalmente frequentam áreas regulares. Aqui no Brasil, a única área regular conhecida no Brasil situa-se no litoral norte do Espírito Santo, próximo à foz do Rio Doce.

"De qualquer forma, o instinto de sobrevivência sempre falará mais alto. Particularmente, eu acredito que essa região do Brasil possa ter sofrido uma queda na quantidade de organismos dos quais ela se alimenta, mas os estudos realizados com esses animais, nesse sentido, ainda são inconclusivos. De vez em quando, elas aparecem em lugares pouco comuns, sendo observadas desovas ocasionais em outros pontos do litoral brasileiro, como no Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul."

Na opinião do biólogo do Instituto Biopesca, Rodrigo Vale, a nidificação de uma tartaruga gigante no litoral paulista é considerada um fato raríssimo e que chama muita atenção.

"Agora temos dois pontos de monitoramento, e este segundo nos dá maiores perspectivas, já que o local (praia do Satélite) possui melhores características, em todos os sentidos, do que o primeiro, na praia do Suarão."

O biólogo relata que a tartaruga levou cerca de três horas para escavar a areia, depositar os ovos e retornar ao mar. Um grande número de curiosos acompanhou todo o processo.

Por esse motivo, pesquisadores do Instituto Biopesca atuaram para impedir que as pessoas utilizassem qualquer tipo de iluminação. Tudo para que o animal não sofresse estresse e pudesse voltar ao mar com tranquilidade. Os técnicos também fizeram a inspeção do ninho e encontraram os ovos, mas não conseguiram estimar a quantidade.

Meio Ambiente