Topo

Justiça afasta prefeito e presidente da Câmara de Campo Grande

Reprodução/Facebook
Gilmar Olarte (PP) foi afastado da Prefeitura da Campo Grande após operação do Gaeco Imagem: Reprodução/Facebook

Luiz Felipe Fernandes

Do UOL, em Campo Grande

25/08/2015 11h28Atualizada em 25/08/2015 11h43

A Justiça de Mato Grosso do Sul afastou dos cargos o prefeito Gilmar Olarte (PP) e o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, o vereador Márcio César (PMDB).

As notificações foram entregues na manhã desta terça-feira (25), nas sedes dos Poderes Executivo e Legislativo, pelo promotor do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) Marcos Alex Vera de Oliveira. As notificações foram recebidas por procuradores.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul ainda não esclareceu o teor da ordem de afastamento, mas, na semana passada, Gilmar Olarte se tornou réu em um processo que apura crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O UOL tentou contato com o prefeito e o vereador, mas não obteve retorno. A Justiça ainda não se pronunciou sobre quem assumirá a Prefeitura de Campo Grande.

Pastor evangélico, Gilmar Olarte era vice do então prefeito Alcides Bernal (PP) e assumiu a prefeitura de Campo Grande em março de 2014, depois que Bernal foi cassado por irregularidades em contratos da prefeitura.

Compra de votos

Também na manhã de hoje, o Gaeco deflagrou a operação Coffee Break, que apura crimes de corrupção ativa e passiva e um suposto esquema de compra de votos na Câmara Municipal.

Foram cumpridos 13 mandados de condução coercitiva (quando os suspeitos são levados para prestar esclarecimentos). Nove vereadores, um ex-vereador e um empresário foram conduzidos à sede do Gaeco.

Informações preliminares indicam que as atividades de hoje têm ligação com a operação Lama Asfáltica, da Polícia Federal, deflagrada no começo de julho e que investiga fraudes em obras estaduais.