Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Manifestantes contra impeachment fazem protestos em 19 Estados e no DF

Do UOL, em São Paulo

Grupos contrários ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff promoveram protestos pelo Brasil na manhã desta terça-feira (10), véspera da votação no Senado.

Pelo menos 19 Estados registram atos (São Paulo, ParanáRio de Janeiro, Minas GeraisRio Grande do Sul, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Rondônia, Ceará, Espírito Santo, Amazonas, Piauí, Pará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul e Sergipe), além do Distrito Federal.

Os manifestantes são ligados a grupos como a CUT (Central Única dos Trabalhadores), o MST (Movimento Sem Terra), MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) e Frente Brasil Popular. Nos protestos, os participantes exibem faixas contra o vice-presidente Michel Temer e classificam o processo de impeachment como "golpe".

São Paulo

Em São Paulo, todos os protestos já tinham sido encerrados por voltas das 9h30. Mais cedo, os manifestantes ocuparam a pista expressa da marginal Pinheiros, na altura das pontes João Dias e do Morumbi.

Na marginal Tietê, sentido Castello Branco, houve bloqueio total em frente ao prédio dos Correios, entre as pontes Aricanduva e Tatuapé. A via foi liberada por volta das 8h30.

Já na avenida 23 de Maio, na altura do terminal Bandeira, o grupo colocou fogo em pneus. O Corpo de Bombeiros agiu rápido e apagou as chamas, liberando o trânsito na região por volta das 7h30. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego, o congestionamento pela manhã chegou a 100 km.

Manifestação com barricada e fogo próximo ao Terminal Bandeira

  •  

A rua Evandro Carlos de Andrade, que dá acesso à sede da Rede Globo, no bairro do Brooklyn, também foi bloqueado.

Também houve registro de manifestações na rodovia Hélio Smidt (altura do km 1,5) perto do aeroporto de Cumbica (Guarulhos), mas os protestos se encerraram por volta das 7h25. 

Reprodução/Band
Em SP, manifestação fechou acesso à sede da Rede Globo (foto)

Paraná

Segundo o portal "CGN", integrantes do MST fizeram uma passeata pela BR-277, na manhã de hoje, sentido a Foz do Iguaçu.

De acordo com a Ecocataratas, o tráfego na rodovia fluiu normalmente, pois os manifestantes caminharam pelo acostamento. Não houve interferência nas cancelas do pedágio. O grupo estaria indo para a Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Divulgação/PRF
Ato interdita parcialmente rodovia da fronteira Brasil-Paraguai em Foz do Iguaçu

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que em Foz do Iguaçu, na BR-600, ocorreu uma interdição parcial, sem previsão de liberação, em virtude de manifestação de centrais sindicais e MST, com cerca de 200 manifestantes.

A polícia informou que manteve o fluxo normal de veículos e também a entrada na Usina de Itaipu.

Na BR-158, km 202, em Peabiru, houve manifestação de cerca de cem integrantes do MLT (Movimento de Luta pela Terra). A pista foi fechada nos dois entre 7h20 e 9h.

Além disso, balões estampados com as frases "Fica, querida!" e "Este não será o país do ódio" foram espalhados pela manhã no calçadão da Rua das Flores, no local e ponto de encontro conhecido por Boca Maldita, em Curitiba. 

Rio de Janeiro

No Rio, um grupo colocou fogo em pneus nos dois sentidos da rodovia Rio-Santos na altura do km 394, em Itaguaí. Por volta das 7h30, policiais rodoviários conseguiram liberar a via no sentido Angra dos Reis. O congestionamento era de 4 km. As informações são da rádio "CBN".

A Via Dutra também chegou a ser ocupada, mas segundo o Centro de Operações da prefeitura do Rio, foi rapidamente liberada.

Minas Gerais

A Frente Brasil Popular anunciou o bloqueio da BR-040, em frente ao trevo de Congonhas, com queimas de pneus e faixas contra Temer. O bloqueio, segundo a organização, "inviabilizou o funcionamento das mineradoras Vale, Ferrous Resources, Gerdau e CSN na região". Os manifestantes criticaram ainda o fechamento de postos de trabalho da Vale Manganês, em Ouro Preto.

Distrito Federal

O jornal "Correio Braziliense" informa que "centenas de manifestantes" ligados ao MST bloquearam rodovias no DF. Segundo a Polícia Rodoviária e o Corpo de Bombeiros, cerca de 200 pessoas fecharam a BR-070 (altura de Águas Lindas) com queima de entulho e galhos de árvore. 

Na BR-020, cerca de 300 pessoas protestaram na altura do DVO, dentro da região administrativa de Planaltina. Os dois sentidos foram bloqueados. Na BR-060, os manifestantes também bloquearam os dois sentidos.

Rio Grande do Sul

Protestos geraram bloqueios de rodovias na região metropolitana de Porto Alegre, segundo o" Jornal do Comércio". Segundo PRF, havia grandes congestionamentos nas BRs 116 (Sapucaia do Sul) e 290 (Eldorado do Sul). Às 9h, as duas vias já haviam sido desbloqueadas.

As ações dos manifestantes começaram por volta das 6h, segundo a PRF. Nas rodovias, pneus foram incendiados, enquanto ainda era noite. Por volta das 8h, os congestionamentos somavam 10 quilômetros em cada região. Também houve relatos de bloqueios na RS-040, que liga a Capital a Viamão.

Reprodução/ Twitter/ @vitoralvesrosa
Manifestantes bloqueiam a rodovia RS-040, em Viamão (RS)

No km 146, na BR-116 em Caxias do Sul, também teve obstrução, mas o trecho foi liberado por volta das 8h. Também na BR-386, em direção a Nova Santa Rita ocorreu protesto. 

Ao longo do dia, mais de 10 locais no estado tiveram o trânsito interrompido por protestos. Às 14h, já não havia mais nenhum foco de manifestação. 

Santa Catarina

Uma manifestação bloqueou o km 185 da BR-116, cruzamento com a BR-470, em São Cristóvão do Sul. Não há informações, porém, a respeito de horários da manifestação, tampouco do número de participantes.

Espírito Santo

Em Vitória, um grupo de manifestantes protestou diante do Palácio Anchieta. Segundo o jornal "Folha Vitória", o protesto começou às 5h30 com queima de pneus e fechou as duas vias por volta das 6h15.

Motoristas que, no horário, saíram de Vila Velha com destino ao centro de Vitória pegaram grande congestionamento. No município de Viana, cerca de 30 manifestantes bloquearam a BR-262 a partir das 4h30, pedindo a permanência da presidente Dilma Rousseff.

Bahia

Segundo o jornal "A Tarde", os protestos na Bahia aconteceram em Salvador e em diversas rodovias que cortam o Estado. Na capital, os manifestantes ocuparam a avenida Suburbana em diversos pontos. A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) informou que há protestos em Itacaranha, Praia Grande, Estrada do Derba e na rotatória de Periperi.

A avenida Garibaldi também foi fechada com pneus queimados. Outro grupo fechou a entrada do campus Ondina da UFBA (Universidade Federal da Bahia). Na BR-324 (altura do km 592, no povoado de Menino de Jesus) e na BR-101 (altura do km 527, região de Feira de Santana, e na altura do km 508, em Itabuna), há pontos de bloqueio. As pistas foram parcialmente interditadas.

A Via Parafusos, que dá acesso ao pólo e à cidade de Camaçari, foi interditada. A BA-093, no trecho do Entroncamento de Dias D'Ávila, também foi fechado.

Também houve protesto de funcionários da Coelba, a companhia de energia do Estado, que paralisaram as atividades.

Protestos também ocorreram na madrugada nas garagens de ônibus, e muitos deles não saíram para circular. Em Feira de Santana, manifestantes fecharam o acesso à Universidade Estadual de Feira de Santana.

"O governo Temer será inviável, iremos parar esse país, não vamos legitimar um presidente golpista", disse Cedro Silva, presidente da CUT Bahia.

CUT
Entrada da Universidade Estadual de Feira de Santana é fechada por manifestantes

Paraíba

João Pessoa amanheceu sem trens e parte da frota de ônibus hoje, por conta dos protestos contra o impeachment de Dilma. Manifestantes bloquearam a garagem da empresa Unitrans, no bairro José Américo. A empresa é responsável por grande parte das linhas de ônibus da capital, e impediram a saída de veículos até as 8h22, segundo informou a Semob.

Os trens da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) ficaram parados na Estação Ferroviária, no bairro do Varadouro, até as 10h10. O trânsito foi interditado em Bayeux, próximo à bifurcação da BR-101 e da BR-230. O local dá acesso a motoristas que chegam em João Pessoa das cidades de Natal e de Campina Grande.

A Polícia Rodoviária Federal informou que houve protesto no km 148 da BR-230, próximo a entrada de Campina Grande. Os bloqueios acabaram por volta das 9h.

Pernambuco

O "Jornal do Commercio" informou que um grupo de pessoas protestou na manhã desta terça-feira em um trecho da BR-101 (que liga o Recife a João Pessoa), no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes. A manifestação acontece nos arredores da fábrica da Viitarela.

Yuri Laurentino/Twitter
Protesto fecha a BR-101, próximo à fábrica da Jeep, em Goiana (PE)

A Polícia Rodoviária Federal informou que a pista foi travada nos dois sentidos no km 8, sem previsão de liberação. Segundo a "TV Jornal", os metroviários também resolveram aderir ao movimento, e os trens circulam apenas em horários de pico, das 5h às 9h e das 16h às 20h, já que os supervisores e instrutores dos maquinistas é que estão operando os trens. Mesmo assim, a frequência de saída de trens é menor que o habitual.

Um grupo de trabalhadores rurais interditou um trecho da BR-232, em Pesqueira, no Agreste de Pernambuco. O bloqueio ocorre no km 214. Os manifestantes atearam fogo em pneus e também usaram galhos de árvores para fechar a rodovia.

Rio Grande do Norte

Em Natal, rodoviários contrários ao impeachment decidiram paralisar as atividades e deixaram a população sem ônibus na manhã de hoje. A Cooperativa de Transporte, que realiza viagens de transporte alternativo intermunicipal a partir da da capital potiguar, enviou comunicado para que os motoristas não circulem por risco de ataques. A prefeitura liberou, excepcionalmente, que ônibus de fretamento e táxis façam o transporte coletivo.

Acontece no RN/Twitter
Protesto de motoristas impede entrada na UFRN, às margens da BR-101, em Natal

Outra manifestação, a partir das 16h30, saiu com manifestantes em marcha até a UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), na BR-101

Rondônia

Em Rondônia, integrantes do MAB e sindicalistas da CUT bloquearam trecho da BR-364, em Candeias do Jamari (RO), na manhã de hoje. Segundo a PRF, os manifestantes ocuparam o km 691 com faixas e cartazes em protesto ao rompimento da barragem em Mariana (MG) e contra o impeachment.

CUT
Em Candeias do Jamari (RO), grupo escreveu no asfalto frases de apoio ao PT e à Dilma

Ceará

Integrantes do MST bloquearam trecho no km 67 da BR-116, em Chorozinho (região metropolitana de Fortaleza), em apoio à presidente Dilma Rousseff. O grupo também pede celeridade em processos de reforma agrária no Estado. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que a rodovia está interditada nos dois sentidos. Segundo a polícia, cerca de 200 manifestantes estão no protesto.

Polícia Rodoviária Federal
MST bloqueia trecho no km 67 da BR-116, na Grande Fortaleza

Piauí

Três cidades do Piauí registraram manifestações contra o impeachment de Dilma. Segundo a PRF, ocorreram bloqueios em Teresina, Amarante e Picos.

Em Teresina, manifestantes do movimento Frente Brasil Popular atearam fogo em pneus em trecho da BR-343, entre a capital e a cidade de Demerval Lobão. Sindicalistas ligados à CUT se reuniram na praça Rio Branco, região central de Teresina, e saíram em passeata pelas principais ruas da cidade em protesto "contra o golpe".

Integrantes do movimento Frente Brasil Popular e movimentos sociais, atearam fogo em pneus na avenida Senador Helvídio Nunes de Barros, na BR-316, em Picos, por volta das 4h30. Segundo a polícia, a rodovia ficou interditada por cerca de duas horas e foi liberada com a chegada de homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Já em Amarante, a manifestação ocorreu na ponte do rio Canindé, na BR-316, a partir das 6h30, e causou congestionamento. O protesto foi organizado por integrantes do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens).

Polícia Rodoviária Federal
Manifestantes realizam interdição na BR-316, em Picos (PI)

Amazonas

Segundo a Agência Brasil, foi interditada a BR-174, na altura da cidade de Presidente Figueiredo. Não há informações a respeito do número de manifestantes.

Pará

Integrantes do MST e outros movimentos sociais interditaram trechos da BR-010, em Aurora do Pará, e da BR-316, em Castanhal, localizados no nordeste do Pará, na manhã de hoje.

Eles atearam fogo em pneus nas estradas em protesto ao processo de impeachment. Segundo a PRF, os trechos que ficaram interditados são no km 259 da BR-010 e no km 69 da BR-316.

Os protestos iniciaram às 9h e foram dispersados por volta do meio-dia. O trânsito voltou a fluir normalmente. Segundo a polícia, os dois bloqueios reuniram cerca de cem pessoas.

Polícia Rodoviária Federal
Integrantes do MST interditaram trechos da BR-010, em Aurora do Pará

Maranhão

Integrantes da CUT e da Frente Brasil Popular bloquearam a avenida Beira-Mar, região central de São Luís, na manhã de hoje.

O grupo ocupou trecho próximo ao Mercado do Peixe com faixas e cartazes em apoio à Dilma. Segundo a SMTT (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte), a avenida Senador Vitorino Freire e a rua do Egito, adjacentes à área bloqueada, ficaram com trânsito retido.

Porém, de dez em dez minutos, os manifestantes abriam passagem para o trânsito diminuir. A Polícia Militar informou que não houve registro de tumultos e o protesto já foi finalizado.

Mato Grosso do Sul

A BR-267, perto do trevo de Deodápolis, foi bloqueada logo cedo por grupo de cerca de 300 manifestantes sem-terra, em apoio à continuação do mandato de Dilma.

O grupo reunido decide se seguirão ao prédio da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), entidade que se posiciona a favor do impeachment. O deslocamento deveria acontecer às 16h, mas a chuva no local atrasa a programação. 

Sergipe

Integrantes do Levante Popular da Juventude, do Movimento Sem Terra (MST) e do Movimento Organizado de Trabalhadores Urbanos (MOTU) realizaram manifestação em frente ao restaurante  Habib's, na praça de alimentação do shopping Jardins, em Aracaju, na tarde desta terça- feira (10).

O grupo é contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e repudiou o manifesto dos senadores Ricardo Franco (DEM), Maria do Carmo (DEM), Eduardo Amorim (PSC) e Valadares (PSB), que são a favor da retirada da presidente do governo.

 

A rede Habib's apoiou atos a favor do impeachment realizados pelo Movimento Vem Pra Rua e convocou clientes para o ato contra Rousseff do dia 13 de março.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos