PUBLICIDADE
Topo

Política

Ciro Gomes diz que Gilmar Mendes "constrange" o país ao soltar presos da Lava Jato

16.jun.2017 - Ciro Gomes diz que candidatura de Lula não impede sua própria candidatura - DENILTON DIAS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO
16.jun.2017 - Ciro Gomes diz que candidatura de Lula não impede sua própria candidatura Imagem: DENILTON DIAS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

26/08/2017 08h42

O vice-presidente nacional do PDT e pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou na noite desta sexta-feira (25) que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, “constrange” o país e “insulta” a corte com as suas decisões de conceder habeas corpus a presos da Lava-Jato. Ciro Gomes participava da abertura da convenção da legenda em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte,.

“Fico muito constrangido pelas suas (de Gilmar Mendes) decisões (de conceder habeas corpus de presos da Lava-Jato), como advogado, como professor de direito, como militante político. Em algum momento, ele precisa botar a mão na cabeça e se recolher ao cargo de ministro do STF”, afirmou o pedetista.

“Ele está erodindo (corroendo) dramaticamente a respeitabilidade que o povo brasileiro precisa ter do STF. Não é possível que ele continue a insultar a corte dessa forma”, disse o ex-governador do Ceará.

Mendes havia determinado recentemente a soltura de investigados da Lava Jato como o empresário Jacob Barata Filho, o ex-presidente da Fetranspor (Federação de Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio) Lélis Teixeira e o ex-presidente do Detro (Departamento de Transportes do Rio de Janeiro), Rogério Onofre. A Justiça do Rio emitiu novos pedidos de prisão.

Lula

O pré-candidato voltou a comentar que a candidatura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, de quem foi ministro da Integração Nacional, seria ruim para o país. Porém, ele não deu pistas se poderia vir a apoiar o petista.

“Eu não gostaria de ser candidato se o Lula for. Mas se ele for candidato o país vai se dividir e não vai conseguir discutir projetos de governo durante a campanha”, disse.

“O país vai se rachar em ódio e paixões e não vai ter um minuto sequer para debater os problemas do país. Mas isso (candidatura de Lula) não será nenhum impedimento para minha candidatura”, afirmou.

Afagos a Pimentel

Ciro Gomes ainda voltou a criticar o presidente Michel Temer, desta vez por causa do decreto que extingue uma área de reserva entre o Pará e Amapá, do tamanho do território do Espírito Santo, para exploração mineral.

Ele afirmou que a eventual exploração mineral na região poderia atender a interesses estrangeiros.

O governo diz que a medida não abre nenhuma nova área de exploração mineral. Ela regulamentaria situações já existentes.

Ciro Gomes também disse que o governo federal “destruiu as contas de Minas Gerais”. Ele ainda fez elogios ao governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT).

“Como se explica a situação do Estado? Destruíram as contas de Minas Gerais”, afirmou.

“Pimentel, um governador decente, bem intencionado, homem correto, foi posto de joelhos para pagar os funcionários e honrar as dívidas”.

O governador mineiro é investigado por corrupção nas operações Acrônimo e Lava-Jato, e com déficit no orçamento, está pagando atrasado os salários dos funcionários do Estado, desde o início de 2016.

Política