PUBLICIDADE
Topo

Política

Governador da Paraíba suspende racionamento de água em cidade que recebe Lula

Ao lado de Lula, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), discursa em ato da caravana petista - Beto Macário/Colaboração para o UOL
Ao lado de Lula, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), discursa em ato da caravana petista Imagem: Beto Macário/Colaboração para o UOL

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em João Pessoa

27/08/2017 04h00Atualizada em 27/08/2017 16h39

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Nordeste chegou a Paraíba neste final de semana e não escapou de mais uma polêmica. Neste domingo (27), Lula participa em Campina Grande do ato intitulado “Água e Democracia”.

A escolha do tema e local não poderia ser mais propício. Na sexta-feira (25), o governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), aliado de Lula, anunciou a suspensão do racionamento de água que atingia cerca de 700 mil pessoas de 19 cidades do Estado, incluindo Campina Grande, desde dezembro de 2014.

Segundo o governador, a decisão não tem qualquer relação com a visita de Lula e foi tomada com base em dados técnicos.

ATUALIZAÇÃO: Durante o evento desse domingo, Lula disse que Temer gastou mais para ficar no poder do que custo de obra no rio São Francisco.

No mesmo dia, a Defensoria Pública do Estado questionou a decisão na Justiça e conseguiu, em primeira instância, suspender o fim do racionamento, alegando que não haveria ainda segurança hídrica para a distribuição de água sem um controle estatal.

Só que o desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos anulou a decisão a decisão liminar e manteve o fim do racionamento.

A decisão foi comemorada pelo governador, que anunciou a determinação do fim do racionamento em suas redes sociais.

"Aqui tem sempre uma parte da política que joga para o quanto pior melhor. O governo teve o cuidado de adotar racionamento ao ver que estávamos na pior seca do último século. E, agora, temos a certeza, os dados e os documentos e sabemos que é possível suspender, é necessário", disse o governo em programa de rádio oficial.

Ricardo Coutinho participou da cerimônia de entrega do título de cidadão pessoense, na noite desse sábado (25). Também esteve com Lula na "inauguração popular da transposição", em Monteiro, em março.

Segundo a Defensoria Pública, ainda é incerta a segurança hídrica do açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, que está apenas com 8,2% de sua capacidade e abastece a região.

Até março, o reservatório operava no chamado volume morto, mas o cenário mudou porque o local começou a receber águas do rio São Francisco por meio da transposição, segundo o governo do Estado.

Lula reivindica a paternidade da obra. Campina Grande pode ser considerada uma "ilha tucana" no Nordeste. O PT nunca venceu uma eleição na cidade que é berço político do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). 

Ainda segundo os críticos do fim do racionamento, a quantidade de água que chegou ao açude foi menor que o esperado, já que houve desvios de água por agricultores e ajustes nos equipamentos da transposição.

"Com a suspensão do racionamento de água poderá ocorrer agravamento da já latente crise hídrica. O perigo de dano é evidente", afirmou a juíza Ana Carmem Pereira Jordão, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, em sua decisão liminar.

A decisão do governador foi alvo de críticas de opositores. "É lamentável, um absurdo a falta de respeito com a população. Boqueirão não acumulou um nível para poder dar tranquilidade para ser liberado o racionamento. Eles estão brincando com a população só para fazer campanha antecipada. É uma vergonha", disse o vereador Márcio Melo Rodrigues (PSDC), vice-presidente da Câmara de Campina Grande.

O ato deste domingo é o último na Paraíba da caravana que percorre o Nordeste. Em seguida, ele vai para o Rio Grande Norte ainda hoje, onde vai visitar as cidades de Currais Novos e Mossoró.

Lá, pela primeira vez na caravana, Lula não irá se encontrar ou ter apoio do governador local, já que Robinson Faria (PSD) não vai ao encontro do ex-presidente.

Antes, Lula foi contou no palanque com os governadores da Bahia, Rui Costa (PT), de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), e de Alagoas, Renan Filho (PMDB).

Em Pernambuco, Lula se encontrou em agenda reservada com o governador Paulo Câmara (PSB) e Renata Campos (PSB), viúva de Eduardo Campos.

Política