Operação Lava Jato

Lula diz que seu processo está botando a "Justiça para funcionar"

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ratificou na noite desta quarta-feira (13) a tese de sua defesa de que a tramitação do processo do tríplex tem "celeridade extraordinária" e, por isso, a ação está servindo para a "Justiça funcionar". O petista fez a declaração em evento para filiados do PT em Brasília, um dia após a 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) marcar a data do julgamento da apelação da condenação do ex-presidente na Lava Jato. 

Em julho deste ano, Lula foi condenado a 9 anos e meio de prisão em primeira instância, pelo juiz Sergio Moro, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo a sentença, o ex-presidente recebeu um total de R$ 2,2 milhões em propina da construtora OAS na forma de um tríplex no Guarujá (SP) e das reformas feitas no imóvel. De acordo com o juiz, Lula recebeu a "vantagem indevida" em decorrência do cargo de presidente da República. A defesa nega todas as acusações.

"Estou tranquilo, inclusive com a antecipação do processo. Porque eu passei a vida toda dizendo que a Justiça era morosa, que Justiça não funciona. Se o meu caso servir para a justiça funcionar, que seja assim, que ela funcione e se faça Justiça no Brasil", afirmou. 

O petista disse ainda esperar que os juízes que vão julgá-lo "leiam o processo". "Só espero que os juízes que vão me julgar leiam o processo. Leiam as peças de defesa, leiam as peças de acusação", afirmou. 

O ex-presidente assegurou respeitar as instituições. "Tenho respeito pelas instituições, sou um homem que defende um Ministério Público forte, uma Polícia Federal forte, quero que todo ladrão vá preso, [mas] não quero que o trabalhador seja vítima." 

Sem fazer referência direta à Lava Jato, ele sugeriu que delatores contam com privilégios. "Tá cheio de malandro que fez delação premiada com tornozeleira e cheio de dinheiro, enquanto tem um monte de trabalhador sofrendo a consequência", disse.

Na terça-feira (12), o TRF-4, que é a segunda instância da Lava Jato de Curitiba, informou que o julgamento do recurso de Lula contra a sua condenação no processo do tríplex será no dia 24 de janeiro.

Líder em todas as pesquisas de intenção de voto sobre a disputa pelo Planalto em 2018, Lula pode cair na Lei da Ficha Limpa caso o TRF-4 confirme a condenação de Moro. Recursos, porém, podem garantir a presença do petista no pleito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos