Operação Lava Jato

De vergonha ou saudade? Relembre o choro de Geddel e outros na Justiça em 2017

Do UOL, em São Paulo

Não faltaram lágrimas nos depoimentos de investigados e delatores envolvidos na Operação Lava Jato e em outros escândalos ao longo de 2017. O ex-senador Gim Argello (PTB-DF), por exemplo, disse chorando que sempre apoiou a Lava Jato. "Eu não sou desonesto", afirmou o político já condenado em segunda instância.

Os ex-ministros Henrique Eduardo Alves e Geddel Vieira Lima, ambos do PMDB e presos neste ano, também choraram durante depoimentos.

Quem também se emocionou foi o delator Lúcio Funaro, apontado operador do PMDB, ao citar o pai. "Ele [disse que] preferia dar um tiro na cara a ser preso. E hoje a minha condição é de ser presidiário", declarou.

Já Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras que vem confessando os crimes dos quais é acusado, disse que queria "passar essa história a limpo".


 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos