Joesley Batista deixa a prisão em SP; Ricardo Saud é liberado da Papuda

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

  • RENATO COSTA /FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Joesley Batista em sessão da CPMI da JBS no Senado, em novembro de 2017

    Joesley Batista em sessão da CPMI da JBS no Senado, em novembro de 2017

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, deixou a carceragem da PF (Polícia Federal) em São Paulo às 22h07 desta sexta (9).

Joesley estava preso preventivamente desde setembro do ano passado. Ele foi solto hoje por uma decisão do juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal do Distrito Federal.

O magistrado determinou que Joesley e o empresário Ricardo Saud, que havia sido preso com ele, devem entregar seus passaportes e comparecer a todos os atos do processo, além de manterem seus endereços atualizados.

Joesley deixa sede da PF em São Paulo após 6 meses preso

Saud deixou o presídio da Papuda, em Brasília, por volta das 21h desta sexta.

Os executivos estavam presos desde setembro por acusação de obstrução de Justiça. A prisão foi expedida pelo ministro do STF Edson Fachin, a pedido do então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Joesley e Saud passaram a ser investigados por omissão de informações importantes no acordo de delação premiada firmado com a PR.

O argumento utilizado pela defesa de Joesley no pedido de habeas corpus foi de que o caso em que o empresário é investigado por suposta obstrução de Justiça ainda se encontra na fase de inquéritos e não tem data para ser concluído.

Em sua decisão, o juiz Reis Bastos mencionou que "o induvidoso" excesso de prazo da prisão cautelar "enseja inegável constrangimento ilegal passível de correção pela via do habeas corpus". Ele apontou ainda que a investigação não sofre "quaisquer inconvenientes" com a soltura do empresário.

Saída tumultuada

Um cinegrafista amador que aguardava a saída de Joesley jogou um saco de farinha em direção ao carro em que o empresário deixou a PF, sujando o vidro dianteiro do automóvel.

O veículo saiu em alta velocidade e quase atingiu um fotógrafo, que caiu no chão, mas não teve ferimentos.

Em seguida, às 22h13, os advogados de Joesley deixaram a sede da PF. Eles não gravaram entrevista. No entanto, Fernando Pousada, um dos advogados, admitiu que Joesley emagreceu "bastante". O empresário teria perdido cerca de 15 quilos desde setembro, quando foi preso.

Medidas cautelares

Além de entregar o passaporte, Joesley também deverá cumprir as medidas alternativas impostas a ele pela 6ª turma do STJ no último dia 20. Na ocasião, tanto ele como seu irmão, Wesley Batista, tiveram as prisões revogadas no caso referente ao uso indevido de informação privilegiada e manipulação do mercado financeiro. Joesley, no entanto, não foi solto à época devido ao segundo mandado de prisão, cumprido até hoje..

Entre as medidas alternativas, está o monitoramento por tornozeleira eletrônica. No entanto, Joesley deixa a prisão hoje sem o aparelho, que está em falta no Estado de São Paulo. Ele deverá então se apresentar toda terça-feira à Justiça Federal até ter uma tornozeleira a sua disposição.

O mesmo aconteceu com seu irmão, Wesley, que teve de ir a Curitiba para conseguir o equipamento.

Segundo o UOL apurou, Joesley vinha alimentando expectativas de deixar a prisão nas últimas semanas com o pedido de soltura feito por seus advogados. Ele também teria ficado feliz quando seu irmão, Wesley, deixou a carceragem da PF no dia 20.

Ouça a íntegra da gravação entre Temer e Joesley

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos