Após provocações, youtuber acusa Ciro Gomes de agressão; pré-candidato nega

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • ANDRé ÁVILA/Agência RBS/ESTADÃO CONTEÚDO

    9.abr.2018 - Ciro Gomes (PDT) concede entrevista coletiva antes de encontro entre presidenciáveis em Porto Alegre

    9.abr.2018 - Ciro Gomes (PDT) concede entrevista coletiva antes de encontro entre presidenciáveis em Porto Alegre

O youtuber Arthur do Val, do canal Mamãefalei e ligado ao MBL acusou o pré-candidato à Presidência da república, Ciro Gomes (PDT) de agressão durante o Fórum da Liberdade, em Porto Alegre, nesta segunda-feira (09). O candidato nega o fato. 

Segundo relatou do Val ao UOL, na entrada do evento, ele questionou a Ciro como estava o "sequestro do Lula", dizendo que o pré-candidato teria dito certa vez que, se o petista tivesse o mandado de prisão expedido, o esconderia em uma Embaixada. Segundo o youtuber, Ciro negou ter feito tal afirmação. "Eu falei: 'falou sim. Inclusive, você falou que ia receber o pessoal do [juiz Sergio] Moro na bala", contou o youtuber.

Depois disso, Ciro teria questionado se o rapaz era um "bolsominion", como são chamados pejorativamente os apoiadores do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), e depois declarado que ele era um "bobão. Ao fim, do Val acusa Ciro de ter dado-lhe dois tapas na altura da nuca. Ele ainda relatou que os assessores do pré-candidato arremessaram um copo com refrigerante na direção dele. 

Leia também:

O vídeo feito por Arthur do Val foi apresentado aos jornalistas presentes. Pelas imagens é impossível contextualizar o que ocorria. Ciro parece sorrir após a cena. O youtuber se recusou a encaminhar o vídeo e disse que postaria o conteúdo em suas redes sociais, o que, até a publicação desta reportagem, não ocorreu.

Na saída do evento, que contou com discursos de seis pré-candidatos à Presidência da república, Ciro foi abordado sobre o tema. Ele negou qualquer agressão ao youtuber. "Se eu tivesse batido, não teria ficado uma marquinha?", indagou, dizendo que saiu de perto do rapar.

Os assessores do candidato também rejeitaram a hipótese de agressão.

Arthur é membro do movimento MBL (Movimento Brasil Livre), que desde 2014 defende o liberalismo econômico, vertente contrária à do candidato do PDT, e que em 2016 organizou atos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O movimento também é um dos principais organizadores das manifestações da semana passada pela prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O canal Mamãefalei tem mais de um milhão de inscritos. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos