PUBLICIDADE
Topo

Política

Defesa de Lula pede para que ele receba médicos na prisão em Curitiba

Nelson Almeida/AFP
Imagem: Nelson Almeida/AFP

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em Curitiba

25/04/2018 17h27

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) querem que o petista receba atendimento médico “periodicamente e sempre que necessário” na carceragem da PF (Polícia Federal) em Curitiba, onde ele cumpre pena desde o dia 7 de abril.

Em petição enviada nesta quarta (25) à juíza Carolina Lebbos, responsável pelas ações de custódia do ex-presidente, a defesa de Lula alega que o petista, que tem 72 anos, ainda não passou por qualquer exame de rotina, como “habitualmente vinha realizando”, desde que foi preso.

Os advogados afirmam ainda que obtiveram informações de que outros presos custodiados na PF em Curitiba recebem atendimento de médicos por eles indicados. A defesa argumenta que o atendimento médico a Lula é “necessário para preservar a saúde” do ex-presidente e que sua realização “não implicará em qualquer alteração na rotina” da sede da Superintendência.

O pedido já havia sido feito pelos advogados na última sexta (20) e foi reforçado na petição enviada hoje à juíza às 13h56.

Às 15h08, a magistrada publicou um despacho, mas não decidiu sobre a solicitação. A juíza afirmou não haver “indicação de urgência” e disse aguardar informações da Superintendência da PF para, então, tomar uma decisão.

Lula tem 72 anos. Em 2011, foi diagnosticado com câncer na laringe e passou por sessões de quimioterapia, que combateram a doença. Nos últimos anos, o ex-presidente intensificou sua rotina de atividades físicas: fora da prisão, fazia musculação, caminhada e corrida.

Na sede da PF, o petista recebeu autorização da juíza Carolina Lebbos para ter uma esteira ergométrica na sala onde cumpre pena. Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá.

Política