Topo

Eleito, 'Jair M. Bolsonaro' imita 'Donald J. Trump' em perfil no Twitter

AFP
Imagem: AFP

Gustavo Maia e Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo e no Rio

2018-10-31T15:56:24

2018-10-31T21:41:19

31/10/2018 15h56Atualizada em 31/10/2018 21h41

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deixou de ser "candidato à Presidência" e deu cara nova ao seu perfil do Twitter nesta quarta-feira (31). Mais do que simplesmente mudar seu nome e biografia, Bolsonaro deixou sua rede social idêntica à do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em seu Twitter oficial, Trump grafa seu nome como "Donald J. Trump" e, na biografia, "45º presidente dos Estados Unidos da América", em tradução livre, acompanhado do logo da bandeira dos EUA. Bolsonaro seguiu na mesma linha: no nome, "Jair M. Bolsonaro", e na descrição, "Capitão do Exército Brasileiro, eleito 38º Presidente da República Federativa do Brasil", acompanhado de um logo da bandeira brasileira. 

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Anteriormente, enquanto ainda era candidato, Bolsonaro grafava seu nome na rede como "Jair Bolsonaro 17". Já sua biografia exibia a mensagem "Capitão do Exército Brasileiro, Deputado Federal eleito pelo RJ [Rio de Janeiro] e candidato à Presidência da República com o número 17".

Captura de tela
Perfil de Bolsonaro no Twitter quando ainda era candidato à Presidência Imagem: Captura de tela

Durante sua campanha, o presidente eleito disse diversas vezes que "nunca escondeu" sua admiração por Donald Trump. Na noite da eleição, no domingo (28), o estadunidense ligou para parabenizar Bolsonaro pela vitória no pleito. A conversa foi traduzida pelo youtuber André Marinho, 24, filho do empresário Paulo Marinho, 1º suplente do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

"Tive uma conversa muito boa com o recém-eleito Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que venceu sua disputa por uma margem substancial. Concordamos que o Brasil e os Estados Unidos trabalharão em estreita colaboração com o comércio, Forças Armadas e tudo mais! Excelente ligação, desejei-lhe parabéns!", escreveu Trump, em tradução livre.

Em agosto, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do capitão reformado, foi aos Estados Unidos visitar parlamentares republicanos, sem se dar conta de que o Congresso estava em recesso, e teve um encontro com Steve Bannon, estrategista da campanha de Trump.

Durante a campanha, entre 2015 e 2016, e depois de eleito, Trump se acostumou a usar o Twitter para fazer anúncios oficiais ou responder adversários.

Nesta quarta-feira (31), Bolsonaro disse que anunciará oficialmente seus ministros nas próprias redes.

Atualização: Na noite desta quarta, em sua conta no Twitter, o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), um dos filhos do presidente eleito, contestou que a conversa entre o pai e Trump tenha sido traduzida por André Marinho. A informação, porém, foi dada pelo então presidente do PSL e braço direito de Bolsonaro, Gustavo Bebianno, ainda na noite de domingo, em entrevista coletiva, e confirmada pelo próprio André. A ligação foi recebida, inclusive, na casa de Carlos.

Mais Política