Topo

Em 2ª cerimônia de posse, Witzel recebe faixa e enfatiza combate ao crime

Governador Wilson Witzel recebeu a faixa do ex-governador em exercício, Francisco Dornelles, no Palácio Guanabara - Fábio Motta/Estadão Conteúdo
Governador Wilson Witzel recebeu a faixa do ex-governador em exercício, Francisco Dornelles, no Palácio Guanabara Imagem: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

02/01/2019 16h46

O novo governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), recebeu na tarde desta quarta-feira (2) a faixa de governador do estado do ex-chefe do executivo, Francisco Dornelles. A cerimônia simbólica de transmissão foi realizada no Palácio Guanabara --sede do governo, localizado na zona sul da capital Fluminense. 

No evento, Witzel voltou a declarar 'guerra' contra o crime organizado no Rio, como já havia feito durante a cerimônia de posse que ocorreu nesta terça-feira (1) na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio): "Aquele que pega em arma e chama para si a guerra, a guerra deve ter. Como terroristas serão tratados".

Durante o discurso, Witzel mencionou novamente o déficit de R$ 8 bilhões no orçamento do estado e se comprometeu a reduzir os gastos da máquina pública, aumentando a capacidade de arrecadação, como também já havia dito na Alerj. 

Na terça, Witzel já havia publicado no Diário Oficial um decreto que determina o corte de ao menos 30% nas despesas operacionais de secretarias, fundações e outros órgãos da administração estadual. 

O evento de posse foi dividido em dois dias -1º e 2 de janeiro-- a pedido do próprio governador, para que ele também pudesse acompanhar a posse do presidente Jair Bolsonaro (PSC) em Brasília. Na terça, Witzel deixou a Alerj e viajou para o evento de "carona" com Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados em um avião da FAB.

Antes do discurso de Witzel, Francisco Dornelles citou o governador Luiz Pezão (MDB), preso em novembro em desdobramentos da Operação Lava Jato no Rio.

"O Rio viveu nos últimos anos uma crise sem precedentes, com queda de arrecadação, com receitas sequestradas com frequência pela União. A tecnocracia federal dava mais importância aos números que às vidas das pessoas. O governador Pezão, com paciência e com esforço do Rodrigo Maia e do presidente Michel Temer, conseguiu assinar o Regime de Recuperação Fiscal", disse Dornelles, que também afirmou confiar na nova administração pública. 

"O povo do Rio de Janeiro acredita no sucesso de sua administração. "

A cerimônia de transmissão de cargo realizada nesta quarta contou com a revista da tropa, desfile da guarda palaciana, execução do Hino do Estado do Rio de Janeiro e uma bênção ecumênica. 

Ainda nesta quarta-feira, o novo governador do Rio se reunirá com o seu secretariado para planejar as ações para os primeiros cem dias de governo. 

Mais Política