PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro mantém boa evolução e jejum oral, dizem médicos

31.jan.2019 - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) despacha de quarto do hospital Albert Einstein, em São Paulo - Divulgação/Presidência da República
31.jan.2019 - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) despacha de quarto do hospital Albert Einstein, em São Paulo Imagem: Divulgação/Presidência da República

Bernardo Barbosa e Eduardo Lucizano

Do UOL, em São Paulo

31/01/2019 16h14Atualizada em 31/01/2019 17h32

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) mantém "boa evolução clínica" e continua em jejum oral, segundo boletim médico divulgado nesta quinta-feira (31). Ele está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, depois da cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia na segunda.

De acordo com o comunicado, Bolsonaro está "sem febre ou outros sinais de infecção", com exames laboratoriais "estáveis". O presidente está se alimentando por via endovenosa e, por ordem médica, com visitas restritas.

"Estão sendo mantidas as medidas de prevenção de trombose venosa e realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e um período de caminhada fora do quarto", diz o boletim assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, Leandro Echenique e Miguel Cendoroglo. 

De acordo com o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, "o presidente segue disciplinado na fisioterapia, ansioso e pronto para voltar ao combate". 

Restrições médicas para falar

Rêgo Barros relatou também que o presidente está falando, apesar de os médicos pedirem para Bolsonaro não fazê-lo -- a entrada de ar na cavidade abdominal pode causar dores e dificultar a cicatrização. "Hoje ele despachou tête-à-tête. O espírito dele é de liderar pela conversa, mas tem procurado atender os médicos", disse o porta-voz.

Pouco depois da divulgação do boletim médico, a Presidência da República divulgou uma foto em que Bolsonaro despacha do quarto do hospital, ao lado do subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Jorge Antônio de Oliveira Francisco.

Ainda segundo Rêgo Barros, Bolsonaro usou o telefone, mas não fez videoconferência e não falou com ministros hoje. O porta-voz declarou também que não há previsão de que ministros visitem o presidente, o que será reavaliado durante o fim de semana.

Mais cedo hoje, Bolsonaro usou o Twitter para dizer que está se recuperando e trabalhando do hospital.

Bolsonaro fez uma cirurgia de sete horas na segunda para retirar a bolsa de colostomia que ele usava desde setembro passado, quando foi esfaqueado durante ato eleitoral em Juiz de Fora (MG).

O presidente também reassumiu suas funções como presidente na quarta (30), despachando em um gabinete improvisado nas dependências do hospital. O Executivo estava sob comando do vice, Hamilton Mourão (PRTB), desde segunda.

Política