Topo

Gentili exercia seu "direito de livre expressão", diz Bolsonaro

Reprodução - 20.mar.2017/SBT
Imagem: Reprodução - 20.mar.2017/SBT

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

2019-04-11T11:24:23

2019-04-11T12:21:07

11/04/2019 11h24Atualizada em 11/04/2019 12h21

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse hoje, em mensagem publicada em seu perfil no Twitter, que se solidariza com o humorista Danilo Gentili, que ontem foi condenado à prisão pela Justiça Federal de São Paulo.

A juíza Maria Isabel do Prado sentenciou o apresentador do programa "The Noite", do SBT, a quase sete meses de detenção por injúria contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). O humorista pode recorrer em liberdade. A ação deverá ser julgada na segunda instância pelo TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região).

Para Bolsonaro, Gentili exercia seu "direito de livre expressão e sua profissão". O presidente pontua que ele é próprio é alvo de chistes. "Mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros".

Gentili se diz honrado

Em seu Twitter, Gentili se disse "muito honrado" com a mensagem de Bolsonaro. "Assim como nunca imaginei um dia ser condenado à prisão por protestar contra censura nunca imaginei também contar com apoio presidencial", escreveu.

Bolsonaro disse que deputada não merecia ser estuprada

Bolsonaro e Maria do Rosário também possuem um histórico de discussões. A mais polêmica de todas ocorreu em 2014, quando o então parlamentar disse que a colega de Câmara não merecia ser estuprada.

Em fevereiro passado, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello negou recurso do presidente, que deverá pagar uma multa de R$ 10 mil pelas ofensas contra a petista.

Gentili chamou deputada de nojenta

Segundo a Justiça, em 2016, o humorista "injuriou a deputada federal ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro". Em uma das mensagens citadas, a parlamentar foi chamada de nojenta.

O humorista fez piada com a condenação e pediu ajuda ao ministro da Justiça, Sergio Moro, que conduziu processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal no Paraná entre 2014 e 2018. Gentili também perguntou quem iria levar cigarro a ele na prisão.

Em suas redes sociais, a deputada disse que a condenação "deve ser lida como uma convocação à sociedade para retomar o respeito, o bom senso no debate público, nas redes sociais e na vida".

Em 2017, humorista rasgou notificação que recebeu sobre ação de deputada

RedeTV! Entretenimento

Mais Política