Topo

Alerj concede a maior honraria do Rio à primeira-dama Michelle Bolsonaro

Sergio Moraes/Reuters
Em libras Michelle Bolsonaro apresenta Jair Bolsonaro ao público durante a posse e ele agradece também em libras Imagem: Sergio Moraes/Reuters

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

2019-04-17T17:43:32

17/04/2019 17h43

A Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) aprovou, na tarde de hoje, que a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, receba a Medalha Tiradentes. Trata-se da maior honraria do governo a quem prestou serviços relevantes ao estado.

O projeto de autoria do deputado Alexandre Knoploch (PSL) foi aprovado em votação simbólica na Casa Legislativa. Apenas oito deputados se opuseram à homenagem. Ainda não há data para que a mulher do presidente Jair Bolsonaro (PSL) receba a medalha.

Na justificativa do pedido, Knoploch afirma que a primeira-dama, nascida no distrito de Ceilândia, em Brasília, atua "em causas sociais, sobretudo na comunidade surda". O texto também ressalta que Michelle, que viveu nos últimos no Rio de Janeiro, "surpreendeu ao discursar em libras no parlatório, sendo a 1ª cônjuge de um presidente da República a discursar em uma posse presidencial".

Veja quais deputados votaram contra a concessão da homenagem:

  • Enfermeira Rejane (PCdoB)
  • Waldeck Carneiro (PT)
  • Flávio Serafini (PSOL)
  • Eliomar Coelho (PSOL)
  • Dani Monteiro (PSOL)
  • Mônica Francisco (PSOL)
  • Renan Ferreirinha (PSB)

Michelle Bolsonaro faz discurso como primeira-dama em libras

UOL Notícias

Vereadores já homenagearam vice-presidente

Esta não é a primeira vez que alguém do governo ou próximo ao presidente Bolsonaro é homenageado por políticos no Rio.

Em fevereiro deste ano, os vereadores do Rio de Janeiro concederam a Medalha Pedro Ernesto - a maior honraria da Câmara Municipal - ao vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB). Depois de assinar o pedido feito pelo vereador Jimmy Pereira (PRTB), o filho de Bolsonaro, Carlos Bolsonaro (PSC) postou o documento assinado em seu Twitter.

Mais Política