Topo

'Coisa porca', diz Major Olímpio. 'Não admito molecagem', retruca Joice

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

05/06/2019 21h30

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso, e Major Olímpio (PSL-SP), líder do partido no Senado, trocaram acusações no plenário do Congresso hoje, ao fim da sessão que analisava vetos presidenciais que impediam a tramitação do pedido de crédito extra para o governo - adiada para a próxima terça (11).

"Coisa de moleque. Quem falava pelo governo não teve palavra. E agora, o que eu digo? Que não se tem palavra? Que é uma esculhambação isso daqui?", questionou Olimpio, que classificou o acordo de "coisa porca" e "coisa mal construída".

Ele se queixava de uma iniciativa defendida por ele - a inclusão de agentes penitenciários e socioeducativos (que trabalham com menores apreendidos) no Sistema Único de Segurança Pública - não avançar. Olimpio afirma que retirou o "destaque" (votação em separado para um tema), com a promessa de o assunto ser incluído na pauta da semana que vem. Mas isso não acontecerá.

A líder do governo rebateu e disse que não tem como obrigar os deputados a votarem por um posicionamento.

"Nós costuramos um acordo para que nós orientássemos a votação. Eu não posso pegar uma arma e apontar na cabeça de parlamentar A,B ou C para votar", disse Joice.

Ela disse que, apesar do acordo firmado, houve divergências dentro do próprio PSL.

"Eu não admito que venham de molecagem comigo. E eu não tenho medo de quem fala alto porque eu também sei falar", disse Joice.

O episódio é mais um na lista de desentendimentos entre Joice e Major Olimpio - ambos do PSL paulista e da base do governo Bolsonaro. Os dois foram cogitados para disputar a Prefeitura de São Paulo no próximo ano.

Ao mesmo tempo, o racha expõe fragilidades do governo no Congresso, enquanto a votação pela reforma da Previdência se avizinha.

Política