Topo

Bolsonaro não gravará propaganda para congresso de filiação do PSL

Presidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião da Comissão de Ética Pública - Isac Nóbrega/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião da Comissão de Ética Pública Imagem: Isac Nóbrega/PR

Guilherme Mazieiro e Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

14/08/2019 21h27

O principal garoto-propaganda do PSL, presidente Jair Bolsonaro, confirmou hoje que não fará propaganda nem campanha para o congresso de filiação do partido, marcado para 17 de agosto. Nas últimas eleições, o PSL passou de nanico à condição de uma das maiores legendas da Câmara dos Deputados. Agora, busca criar uma identidade própria e aumentar o número de filiados.

O congresso contará com a participação das principais figuras do partido, como Major Olimpio (PSL-SP), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Joice Hasselmann (PSL-SP). Na última terça-feira (13), a líder do governo no Congresso Nacional gravou um vídeo convidando interessados a se filiarem à sigla.

Acostumados a fazer selfies e hábeis nas redes sociais, se tornou comum ver parlamentares do PSL gravando vídeos para militância pelo Congresso Nacional essa semana. O deputado Filipe Barros (PSL-PR) abraçou o correligionário Nelson Barbudo (PSL-MT) para a câmera do celular. Já o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) gravou em um só dia ao menos oito vídeos para diferentes cidades do estado de São Paulo. Jair Bolsonaro, porém, decidiu não promover o evento.

"Resolvi não gravar. Não entrar na questão político-partidária, não. Eu sou o presidente também de todos os partidos, então resolvi não...e outra coisa...eu nunca filiei ninguém. Eu sempre filiei quando aquela pessoa queria concorrer a alguma coisa. Eu acho que não tem vantagem nenhuma nem para nós, que estamos no partido, nem para o povo. Só não vou participar. Agora, quem quiser se filiar, o motivo é que está confiando no partido", afirmou ao ser questionado pelo UOL.

As redes sociais do PSL divulgaram hoje vídeo com a chamada "dia 17, venha para o 17", em referência ao número da legenda. Pela primeira vez, o presidente do partido, Luciano Bivar, apareceu em público fazendo uma convocação para o congresso.

Quanto à negativa de Bolsonaro, a reportagem apurou que parlamentares pesselistas acreditam que o presidente ainda não descartou a possibilidade de criar uma sigla própria. Nesta semana, Bolsonaro orientou o partido a expulsar o deputado federal Alexandre Frota, conforme apurado pelo UOL. Bolsonaro nega que tenha agido dessa maneira.

Há alguns dias, o deputado passou a não votar de acordo com o governo em todas as matérias de interesse do Planalto, a atacar posicionamentos de Bolsonaro, além da indicação de seu filho, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), à embaixada do Brasil nos Estados Unidos.

Esta não é a única crise interna enfrentada pelo PSL. Além de desavenças de seus parlamentares dentro do Congresso Nacional por espaço e poder, o partido enfrenta atritos com Bibo Nunes (PSL-RS). Ele chegou, inclusive, a apresentar representação contra Bivar, que o xingou em mensagem de WhatsApp.

Mais Política