Topo

Eduardo Bolsonaro e Kataguiri trocam farpas após veto a lei sobre fake news

Eduardo Bolsonaro - Pedro Ladeira/Folhapress
Eduardo Bolsonaro Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL*, em São Paulo

29/08/2019 12h20

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) bateu boca com o também deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) pelo Twitter após a Câmara derrubar o veto à lei que pune com dois a oito anos de prisão quem divulgar fake news.

"Derrubado o veto da lei que pune com 2 a 8 anos de prisão quem divulgar fake news. Parabéns dep. Kim Kataguiri (DEM-SP) por ter viabilizado esse instrumento que vai calar exatamente aqueles que não divulgam fake news. A esquerda comemorou no plenário, será por quê?", escreveu.

"A pena para quem divulgar fake news é o dobro da pena para quem comete homicídio culposo. Além disso, o que é fake news? Sabemos que nossos inimigos não tem caráter e mesmo falando a verdade eles nos processarão dizendo que estamos divulgando fake news", escreveu Eduardo Bolsonaro, sendo respondido minutos depois pelo colega parlamentar.

"Comemorou porque qualquer veto derrubado ela comemora. E você reclama porque não leu o projeto, aliás, nem estava no plenário durante a discussão, como nunca está. Se era contra, por que não participou do debate? Por que não foi virar votos a favor do veto? Férias pré-embaixada?", publicou Kim.

O deputado continuou, criticando o trabalho de Eduardo Bolsonaro no Congresso e terminou: "Desafio @BolsonaroSP para um debate sobre a lei que ele critica, mas que o próprio pai sancionou parcialmente com exatamente a mesma pena que eu defendo. Sei que não vai aceitar porque não leu o projeto, como não lê nem debate nada do que é relevante pautado em plenário. Vergonha"

Ontem, o Congresso derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro a penas mais duras para quem divulga fake news nas eleições. O trecho em questão é parte da lei sancionada por ele em junho que tipifica como crime a conduta de denunciação caluniosa com finalidade eleitoral.

A parte que agora foi recuperada prevê as mesmas penas para quem divulgar ato ou fato falsamente atribuído ao caluniado com finalidade eleitoral. O argumento usado foi o da contrariedade ao interesse público.

Foram 326 votos dos deputados para derrubar o veto e apenas 84 para mantê-lo. No Senado, foram 48 votos contra o veto e apenas 6 a favor.

*Com Estadão Conteúdo

Mariana Godoy entrevista Kim Kataguiri e Arthur 'Mamãe Falei'

redetv

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi escrito no primeiro parágrafo da matéria, a Câmara derrubou o veto à lei que pune com dois a oito anos de prisão quem divulgar fake news, e não a lei em si. O erro foi corrigido.

Política