Topo

Túlio Gadelha quer ouvir Felipe Neto na CPI das Fake News após Bienal do RJ

Felipe Neto - Reprodução/YouTube
Felipe Neto Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

12/09/2019 10h48Atualizada em 15/09/2019 22h30

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) quer ouvir Felipe Neto na CPI das Fake News, depois que o youtuber se envolveu na polêmica dos livros com temática LGBT na Bienal do Livro do Rio de Janeiro e foi alvo de supostas notícias falsas nas redes sociais.

Se o requerimento apresentado na terça-feira (10) por Gadêlha for aprovado pela maioria do colegiado da Comissão, Felipe Neto será convidado a depor.

A decisão deve ser votada na próxima reunião da CPI, que acontece na próxima semana.

Entenda o caso

No final de semana, depois que o prefeito do Rio Marcelo Crivella mandou recolher exemplares do livro "Vingadores - A Cruzada das Crianças", que considerou impróprio por ter a ilustração de dois homens se beijando, Felipe Neto comprou 14 mil livros de temática LGBT e distribuiu para o público do evento, como forma de protesto.

Ao anunciar a ação, ele foi alvo de taques nas redes sociais, entre ameaças de boicote e notícias falsas, que ele atribuiu ao PSL.

"No Twitter, a hashtag #PaisContraFelipeNeto começou a ser compartilhada e ganhou impulso. Dessa forma, a vinda do Sr. Felipe Neto, com o objetivo de prestar informações a CPMI, é fundamental. Referido youtuber acusa o PSL de criar a hashtag e colocar 'bots' para impulsioná-la e disseminá-la na web", argumenta o deputado no documento.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado em versão anterior deste texto, o deputado Túlio Gadêlha é do PDT, não do PSD.

Mais Política