Topo

SP sedia versão bolsonarista de conferência conservadora dos EUA em outubro

Adriano Machado/Reuters
Imagem: Adriano Machado/Reuters

Talita Marchao

Do UOL, em São Paulo

20/09/2019 12h21

Resumo da notícia

  • 1ª edição da conferência conservadora será em SP
  • Três ministros do governo estão confirmados
  • Planalto ainda não confirmou presença do presidente

A cidade de São Paulo recebe nos dias 11 e 12 de outubro a primeira edição da versão brasileira da CPAC (Conferência de Ação Política Conservadora), que é considerada o maior evento conservador dos EUA. No Brasil, é organizada pelo deputado federal e aspirante ao cargo de embaixador nos EUA, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Assim como nos EUA, onde o presidente republicano Donald Trump discursa todos os anos, o presidente Jair Bolsonaro tem a sua presença confirmada pela organização do evento no primeiro dia do evento. A Secretaria de Comunicação do Planalto diz que, "até o momento", a informação sobre o evento não consta na agenda de Bolsonaro.

Um dia antes da CPAC, Bolsonaro também abre o Fórum de Investimentos Brasil 2019, realizado na capital paulista. Os dois eventos ocorrerão cerca de um mês depois da cirurgia de hérnia no abdome pela qual o presidente passou.

Gratuitas, as inscrições para o evento já foram encerradas. Os organizadores farão ainda uma seleção para preencher as 1.200 vagas disponíveis —para os interessados em acompanhar a CPAC Brasil, foi solicitado o perfil de rede social. Haverá transmissão online.

O evento já confirma a participação de três ministros de Bolsonaro: Ernesto Araújo, das Relações Exteriores; Abraham Weintraub, da Educação; e Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O assessor de Bolsonaro para assuntos internacionais, Filipe Martins, também palestrará no evento.

Além de Eduardo, outro deputado federal, Luiz Phillippe de Orleans e Bragança (PSL-RJ), aparece na lista de palestrantes.

Entre os convidados internacionais, aparece James M. Roberts, representante da Heritage Foundation, um dos principais centros de estudos conservadores dos EUA --onde Araújo palestrou neste mês, quando criticou o "climatismo" e questionou o aquecimento global.

Além dele, confirmaram presença Mercedes Schlapp, que atua como estrategista da campanha de reeleição de Trump, a ser disputada no próximo ano; e Kassy Dillon, do movimento "Lone Conservative" (Conservador Solitário).

A CPAC Brasil será realizada no hotel Grand Hyatt. Eduardo fará a abertura e o encerramento do evento.

Em postagem no Twitter, o assessor de Bolsonaro afirmou que o grupo vai debater "sobre o que fazer para garantir que o Brasil continue no caminho do império da lei e da autodeterminação popular".

Na edição norte-americana realizada neste ano, Trump discursou por cerca de duas horas, tentando associar os rivais do Partido Democrata com o socialismo, de olho na disputa no próximo ano.

A CPAC não expande sua atuação somente no Brasil: a Austrália realizou em agosto a sua primeira edição. Coreia do Sul, Japão e Irlanda devem ter eventos até o fim do ano.

Mais Política