Topo

Na ONU, Bolsonaro elogia Moro por punir "socialistas": "É símbolo do país"

Do UOL, em São Paulo

24/09/2019 11h59

O presidente Jair Bolsonaro discursou hoje pela primeira vez na abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Em sua fala, ele elogiou "a coragem" do ex-juiz Sérgio Moro, seu atual ministro, no combate à corrupção.

"Os presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto. Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo do meu país, Sérgio Moro, que é ministro da Justiça e da Segurança Pública", declarou Bolsonaro.

Sem citar nomes, o presidente disse que "esses presidentes faziam descompromissados discursos e mesmo assim eram aplaudidos".

Ao falar sobre ações de segurança, Bolsonaro citou o caso de Cesare Batistti, dizendo que "terroristas sob o disfarce de perseguidos políticos não mais encontrarão refúgio no Brasil"." e falou sobre o número de policiais mortos.

"Tínhamos que fazer algo em relação aos quase 70 mil homicídios e os incontáveis crimes violentos que anualmente massacravam a população. A vida é o mais básico dos direitos humanos. Os policiais militares eram os alvos preferenciais do crime. Em 2017, cerca de 400 policiais foram cruelmente assassinados. Isso está mudando", declarou, citando que em seis meses de governo conseguiu reduzir em 20% o número de homicídios.

Ele ainda afirmou que o Brasil tem compromisso com "direitos humanos, a democracia e a liberdade de expressão, religiosa e de imprensa" e é um país "mais seguro".

"Hoje o Brasil está mais seguro e ainda mais hospitaleiro. Acabamos de estender a isenção de vistos para países como Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá, e estamos estudando adotar medidas similares para China e Índia, dentre outros", finalizou o presidente.

Política