Topo

Notícias antigas sobre Nardoni e PCC voltam a circular após decisão do STF

11.nov.2019 - Exemplo de post em que notícia antiga foi associada à decisão do STF que vetou a prisão em segunda instância - Reprodução/Facebook
11.nov.2019 - Exemplo de post em que notícia antiga foi associada à decisão do STF que vetou a prisão em segunda instância Imagem: Reprodução/Facebook

Bernardo Barbosa*

Do UOL, em São Paulo

11/11/2019 17h44

Resumo da notícia

  • Notícias antigas sobre Alexandre Nardoni e um integrante do PCC voltaram a circular nas redes sociais após o STF vetar a prisão em 2ª instância
  • No entanto, as duas notícias não têm nenhuma relação com o julgamento do Supremo
  • A Redação do UOL notou que as duas notícias receberam ao longo do fim de semana um volume de acessos incomum para notícias antigas
  • Ao menos 282 páginas e grupos no Facebook compartilharam os dois links a partir de sexta-feira, um dia depois do julgamento no Supremo
  • As notícias sobre Nardoni e o integrante do PCC foram compartilhadas sem nenhuma menção ao fato de que eram de dias ou meses atrás
  • Em alguns casos, os links foram postados junto com textos em tom indignado que faziam menção à decisão do STF

Duas notícias antigas sobre Alexandre Nardoni, condenado pelo assassinato da filha Isabella, e um integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital) voltaram a circular com força total nas redes sociais após o STF (Supremo Tribunal Federal) vetar a prisão após a condenação em segunda instância —apesar de não terem nenhuma relação com o tema.

Nesta segunda-feira (11), a Redação do UOL notou que as duas notícias receberam ao longo do fim de semana um volume de acessos incomum para notícias antigas. Quase todo este tráfego teve origem nas redes sociais.

Um levantamento posterior feito com dados do Crowdtangle, plataforma que monitora o comportamento de um link nas redes sociais, mostrou que ao menos 282 páginas e grupos no Facebook compartilharam os dois links a partir de sexta-feira (8), um dia depois do julgamento no Supremo e no mesmo dia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi solto por consequência da deliberação da Corte.

Os compartilhamentos foram feitos ao longo de todo o fim de semana, quase sempre por páginas e grupos contrários à decisão do STF. No entanto, foi o STJ (Superior Tribunal de Justiça) o responsável por conceder habeas corpus para Nardoni voltar ao semiaberto. Já a notícia da soltura de Odemir Francisco dos Santos, integrante do PCC, foi publicada em setembro, quase dois meses antes de o Supremo julgar a prisão em segunda instância.

Apesar disso, as notícias sobre Nardoni e Santos foram compartilhadas sem nenhuma menção ao fato de que eram de dias ou meses atrás. Em alguns casos identificados pela reportagem, os links foram postados junto com textos em tom indignado que faziam menção à decisão do STF.

11.nov.2019 - Post com notícia antiga sobre Nardoni teve 3,8 mil compartilhamentos antes de ser apagado - Reprodução/Facebook
11.nov.2019 - Post com notícia antiga sobre Nardoni teve 3,8 mil compartilhamentos antes de ser apagado
Imagem: Reprodução/Facebook

"O Supremo Tribunal Federal é a maior vergonha deste país! Por isso no exterior o Brasil é taxado como paraíso da bandidagem! Onde tudo que é tralha e não presta até fogem pra cá! #STFVergonhaNacional", dizia um post do dia 8 de novembro com a notícia sobre Nardoni. A publicação tinha 3.800 compartilhamentos até a tarde de hoje. Ela foi apagada depois que o UOL tentou contato com a administração da página.

Outro post, associado à notícia sobre o integrante do PCC, afirmava: "Entendam!!! Não é questão de ser esquerda ou direita, quando eu repudio esse tipo de coisa que o STF fez, é disso que eu estou falando. Por interesse político, uma nação toda pagará o preço. (...) Lula é apenas um dos bandidos que está nas ruas, terão muitos outros. Irônico né? Justiça injusta." A publicação foi feita na madrugada de sábado (9) e teve mais de 1.000 compartilhamentos.

Todas as notícias do UOL trazem as datas em que foram originalmente publicadas, assim como os horários em que eventuais atualizações foram feitas naquele conteúdo.

Devido à repercussão das notícias antigas fora de contexto, os links sobre Nardoni e o integrante do PCC receberam um esclarecimento adicional nesta segunda, explicando que os casos não têm relação com a decisão do STF de vetar a prisão em segunda instância.

*Colaborou Alex Tajra, do UOL em São Paulo

Política