Topo

Alexandre Frota contesta Bolsonaro sobre definição de Mourão como vice

Roque de Sá/Agência Senado
Imagem: Roque de Sá/Agência Senado

Do UOL, em São Paulo

13/11/2019 08h51

O deputado Alexandre Frota, que foi colega de PSL de Jair Bolsonaro e apoiador do presidente, contestou a versão dada para a escolha do vice-presidente para as eleições de 2018. Ontem, segundo a colunista da Folha de S.Paulo Monica Bergamo, Bolsonaro afirmou que preferia o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança como seu vice, e não Hamilton Mourão.

Frota tuitou: "O Bolsonaro podia pelo menos falar para o Brasil por que, na madrugada da convenção do PSL, decidiu não levar o príncipe como vice. Me ligou às 5 da manhã do aeroporto do Rio, me pediu o celular do Levy Fidelix para poder ligar para Mourão. Conta das fotos, Jair Bolsonaro".

Frota e Bolsonaro entraram em rota de colisão nos últimos meses, com o deputado atacando o presidente e seu entorno na CPMI das fake news, pouco após deixar o PSL.

O deputado ainda atacou Bolsonaro retuitando uma foto de uma oração da reunião do presidente. "Sensacional essa foto a corrente da incompetência de um Presidente que chegou dizendo que acabaria com o PT e acabou com o Psl .Vão ter que rezar muito mesmo."

Bolsonaro falou do arrependimento ontem, em frente aos deputados presentes na reunião em que anunciou seu novo partido, deixando o PSL. A nova sigla se chama Aliança Pelo Brasil.

"Príncipe, estou te devendo eternamente", disse Bolsonaro. Bragança respondeu: "O que é isso. Deve nada, presidente!"

"Devo sim. Você deveria ter sido meu vice, e não esse Mourão aí. Eu casei, casei errado. E agora não tem mais como voltar atrás", insistiu Bolsonaro.

Em seu perfil no Twitter, o senador Flávio Bolsonaro declarou que estava presente na reunião e que a reportagem da Folha "era fake news" e tem o objetivo de "tentar causar intriga no governo".

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política