Topo

Eduardo: Bebianno armou plano de poder para ser vice de Bolsonaro

Eduardo Bolsonaro - Pedro Ladeira/Folhapress
Eduardo Bolsonaro Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

14/11/2019 16h58

O deputado Eduardo Bolsonaro afirmou hoje no Twitter que Gustavo Bebianno armou um plano para virar vice do então candidato a presidente Jair Bolsonaro. O filho do presidente ainda explicou por que o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança, conhecido como "príncipe" por ser membro da família imperial do Brasil, não foi vice-presidente na chapa de seu pai.

"Sinto-me na obrigação de falar sobre a questão do Príncipe, pois fui testemunha ocular. Quando Jair Bolsonaro pagou missão para Bebianno, que só andava com Julian Lemos, encontrar um vice todas as tentativas sempre davam errado", começou a explicação na rede social.

Segundo Eduardo, eles tentaram Hamilton Mourão, Augusto Heleno, Janaína Paschoal e Bragança. Todos deram errado. "A estratégia era clara, queimar a todos para que na última hora fosse Bebianno o escolhido."

"Porém, no caso do Príncipe há uma particularidade", escreveu o deputado. "Carlos [Bolsonaro] e eu havíamos conversado com ele, Jair Bolsonaro estava de acordo e até sábado ele seria o vice. O último dia do prazo era domingo. De sábado para domingo chegou para Bolsonaro um informe de que o 'príncipe' saia de madrugada a agredir mendigos na rua."

Eduardo informou, então, que essa nova informação, "mesmo sendo algo estranho", trouxe "receio" para a chapa. O escolhido acabou sendo Mourão para o cargo. "O PRTB fazia a sua convenção em SP, assim como nós do PSL, e Jair Bolsonaro compareceu ao evento do PRTB para junto com Mourão dar a notícia".

"Bebiano ficou frustrado, mas seu plano de poder seguiu", completou o deputado no Twitter. "Depois pressionou para ser ministro, queria poder. Mas rapidamente ele caiu, pois ele seria o vazador oficial da presidência para seus amigos da imprensa. A sede pelo poder cegou Bebiano e ele esqueceu que lealdade é valor básico para nós."

Agora, expulso do governo, ele se une a todos os demais traíras para tentar chegar ao poder novamente. O 'fiel escudeiro' do Capitão não aprendeu nada no tempo em que esteve ao lado dele. Vai cair do cavalo de novo. Este é homem que carinhosamente Olavo [de Carvalho] apelidou de... BEBIANUS.

Bebianno diz que Bolsonaro lhe falou de "dossiê gay"

Hoje mais cedo, Bebianno disse que foi o presidente Jair Bolsonaro quem o informou do suposto dossiê que teria provocado a retirada do Bragança da vaga de candidato a vice na chapa presidencial de Bolsonaro.

No dossiê haveria cenas de festas gay e acusações de envolvimento do possível candidato a vice com gangues de briga de rua e agressões a mendigos. Bebiano deixou o governo em meio a uma disputa com Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República, pelo controle da área de Comunicação do Palácio do Planalto.

2.jan.2019 - O presidente Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília - Adriano Machado/REUTERS
2.jan.2019 - O presidente Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília
Imagem: Adriano Machado/REUTERS

Porém, em entrevista para a Revista Época ontem, o "príncipe" culpou Bebianno por informar a Bolsonaro que teria fotos dele em uma orgia e agredindo um morador de rua. O deputado declarou que as fotos e as informações eram falsas.

"Bebianno armou e não queria que eu fosse o vice. Ele disse ao presidente que haveria um dossiê que tinha fotos minhas, segundo um amigo me contou na ocasião. O dossiê foi usado porque era domingo de manhã e era o último dia para protocolar quem seria o vice. Ele não queria colocar um militar, inicialmente", disse.

"Sei que esse tipo de armação ocorre a todo momento. Sei que circulam informações falsas. O dossiê era de fotos que eu fazia uma suruba gay e que eu batia em mendigo", contou o deputado, que declarou ainda que Bolsonaro pediu desculpas a ele na terça-feira.

Política