PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro relaciona ouro roubado em SP a extração em terra indígena

Do UOL, em São Paulo

27/11/2019 17h19

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta manhã, que "talvez", índios estivessem associados ao roubo de 700 quilos de ouro no aeroporto de Cumbica, em São Paulo. O presidente não apresentou provas para confirmar sua teoria.

"Eu, como presidente da República, estou tendo dificuldade de saber daquele roubo de 700 quilos de ouro em São Paulo. De onde vieram (sic) aquele quarto de saco de pedras preciosas. Talvez, talvez, não posso afirmar, que terras indígenas de lá tiraram. A preço de quê?", afirmou durante a abertura da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus.

No mesmo evento, Bolsonaro também declarou que os índios "são condenados a viver como homens pré-históricos" e criticou a legislação criada por governos anteriores com recursos para demarcação de territórios indígenas.

"Hoje nós temos o estado do Amazonas tomado por reservas indígenas, parques ecológicos, áreas de proteção ambiental, entre outras políticas ambientalistas que, em parte, prejudicaram o crescimento do nosso Brasil. E a Zona Franca de Manaus veio exatamente para mostrar que o Brasil é nosso, para integrá-lo ao resto do nosso país", disse.

O presidente também defendeu o garimpo na região: "Queremos que os nosso irmãos índios, caso seja de seu desejo, que garimpem suas terras e usem suas riquezas em causa da sua comunidade. Esse é o Brasil que nós queremos", continuou.

"Cada vez mais legislações outras, no passado, ainda em vigor, sinalizam para nos comprometer com retrocessos.", concluiu.

Política