PUBLICIDADE
Topo

Conselho de Ética aprova suspensão de deputado que invadiu hospital no PR

O deputado Boca Aberta (Pros-PR)  - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
O deputado Boca Aberta (Pros-PR) Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

10/12/2019 14h31

O Conselho de Ética da Câmara aprovou hoje, por 10 votos a um, uma recomendação de suspensão por seis meses das prerrogativas parlamentares do deputado federal Boca Aberta (Pros-PR). O denunciado não é punido imediatamente, pois a decisão ainda será submetida ao plenário da Casa.

Boca Aberta tem um prazo de cinco dias para apresentar recurso à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Durante a reunião de hoje do Conselho de Ética, ele anunciou que vai recorrer.

O congressista foi levado ao conselho por meio de duas representações —ambas de autoria do Progressistas— depois de invadir um hospital em Londrina (PR) e, sem autorização, filmar pacientes e médicos.

De acordo com o relator, Alexandre Leite (DEM-SP), os fatos consistiram em "perturbação do regular funcionamento" da unidade de saúde. O episódio ocorreu em março desse ano.

No parecer, Leite havia solicitado a cassação do colega de Parlamento. Na versão dele, o paranaense também agiu de "má-fé" a fim de distorcer a realidade dos fatos. Por esse motivo, sustentou a tese de quebra de decoro —o que é passível da perda de mandato. O entendimento, no entanto, não foi referendado pelo plenário do conselho.

Boca Aberta é conhecido na Câmara por ser adepto de um estilo eloquente e sem papas na língua. Ele é campeão de representações no Conselho de Ética.

Política