PUBLICIDADE
Topo

'Não tenho nenhum problema em apoiar o Ciro Gomes', diz Rodrigo Maia

9.jul.2019 - Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
9.jul.2019 - Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

10/12/2019 10h55

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou não ter problema em apoiar Ciro Gomes (PDT) em uma eleição presidencial. Ele disse que o centro precisa marcar uma posição.

"Nós (DEM) quase apoiamos o Ciro Gomes (nas eleições de 2018). Eu não teria nenhum problema em apoiar o Ciro Gomes. Não tenho nenhum. O Ciro Gomes é um cara que tem palavra", disse Maia ao podcast Ao Ponto, do jornal O Globo.

"Não tenho problema em apoiar um candidato que esteja um pouco mais à esquerda do que eu penso", acrescentou o presidente da Câmara.

Maia evitou comentar sobre possíveis presidenciáveis sob o argumento de que 2022 ainda está longe, mas disse que o centro não pode ser um ambiente entre a esquerda e a direita, devendo ter uma posição definida. "Não tem só um centro, tem um centro com uma visão econômica para um lado, um centro com uma visão econômica para outro. Tem o Ciro Gomes de um lado, o Luciano (Huck) do outro lado", disse.

Questionado se apoiaria Eduardo Paes para a eleição municipal no Rio de Janeiro, o presidente da Câmara respondeu que sim. "Ele (Paes) querendo ser candidato, é claro que o meu candidato é o Eduardo Paes. Foi um grande prefeito", disse.

Financiamento de campanha

Maia comentou ainda a proposta de ampliar para R$ 3,8 bilhões o valor do fundo eleitoral destinado ao financiamento de campanhas municipais do próximo ano. Ele disse que o assunto sempre vai gerar polêmica 'independentemente do valor".

"Qualquer valor vai gerar desgaste. De fato não é simples trabalhar numa agenda de redução de despesa e criar uma despesa nova nesse volume. Espero que os que estão trabalhando nisso consigam mostrar que não está saindo dinheiro de saúde, educação", argumentou.

Racha do PSL

O presidente da Câmara também falou sobre as disputas internas no PSL, partido que elegeu o presidente Jair Bolsonaro em 2018 — ele anunciou recentemente sua desfiliação para fundar o Aliança pelo Brasil. "A nova política é uma beleza", ironizou.

"Essa briga do PSL é uma briga de poder. Acontece em todos os partidos, mas como são o partido das redes sociais, é uma briga bem explícita. Todo mundo nu e se matando", afirmou.

Ele ainda classificou como "absurda" a decisão de retirar profissionais culturais do MEI. No sábado, Bolsonaro informou que encaminharia um pedido de revogação da decisão. Apesar das divergências, Maia disse ter uma relação respeitosa com Bolsonaro.

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política