PUBLICIDADE
Topo

De olho na reeleição, Crivella visita Planalto e se nega a dizer o motivo

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, chega acompanhado de assessores ao Palácio do Planalto  - ANDRE COELHO/Folhapress
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, chega acompanhado de assessores ao Palácio do Planalto Imagem: ANDRE COELHO/Folhapress

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

14/01/2020 17h02

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), esteve na tarde de hoje no Palácio do Planalto, em Brasília, mas se negou a esclarecer o motivo da visita.

Ele foi abordado pelos jornalistas na chegada ao local e se comprometeu a falar na saída, porém acabou deixando a sede do governo de forma a evitar a imprensa. Nas agendas oficiais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus ministros, não há compromissos oficiais com o prefeito. Nenhuma atualização havia sido feita até 17h20.

Crivella tem cortejado Bolsonaro em busca de seu apoio na tentativa de se reeleger prefeito do Rio. No mês passado, em um aceno ao presidente, o prefeito prestou solidariedade ao senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), filho mais velho do mandatário investigado pelo Ministério Público do RJ devido ao caso Fabricio Queiroz.

"Presto minha solidariedade ao Senador Flávio Bolsonaro, pela grande perseguição que vem enfrentando. Quando não somos coniventes com a corrupção, é isso o que acontece: somos atacados. Mas a verdade sempre vai prevalecer. Não vão derrubar os que foram, democraticamente, eleitos", escreveu Crivella em postagem no Twitter.

O texto é acompanhado de um vídeo em que Crivella defende Flávio com veemência. Segundo ele, políticos do Rio "hoje cumprem pena maior do que o maníaco do parque".

Bolsonaro já chegou a dizer que "gosta" do prefeito filiado ao Republicanos e que "se dá bem com ele", mas evitou declarar apoio à tentativa de reeleição na disputa municipal do ano que vem. Outros possíveis candidatos, como o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), também tentam atrair o respaldo do presidente, segundo revelou reportagem do Poder360.

"Eu não vou dizer quem vou apoiar ou não. Eu estou livre, estou aquele cara que está solteiro. Quer que eu case com alguém agora? Não vou casar", disse Bolsonaro em 15 de dezembro do ano passado, ao sair do Palácio da Alvorada. Ele havia sido questionado se apoiaria Crivella.

"Gosto do Crivella, me dou bem com ele. A população é quem vai decidir o futuro prefeito lá."

A reportagem enviou um e-mail para a assessoria de imprensa da Prefeitura do Rio, às 16h08, a fim de checar qual teria sido a agenda de Crivella. Um novo e-mail foi encaminhado às 17h37 para a Subsecretaria de Comunicação Governamental. Ainda não houve resposta.

Política