PUBLICIDADE
Topo

"Até o momento não vi nada de errado", diz Bolsonaro sobre Wajngarten

Chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, foi alvo de reportagens do jornal Folha de S.Paulo - Agência Brasil
Chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, foi alvo de reportagens do jornal Folha de S.Paulo Imagem: Agência Brasil

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

28/01/2020 13h41

Resumo da notícia

  • Fábio Wajngarten é suspeito de receber dinheiro de emissoras de TV e agências de publicidade que mantêm contratos com o governo.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse hoje que, "até o momento", não há "nada de errado" em relação à atuação do chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação), Fábio Wajngarten.

O MPF (Ministério Público Federa) em Brasília informou hoje que pediu à Polícia Federal que investigue se Wajngarten cometeu crimes de corrupção passiva, peculato (desvio de recursos públicos feito por funcionário público, para proveito pessoal ou alheio) e advocacia administrativa (patrocínio de interesses privados na administração pública, valendo-se da condição de servidor).

"O MP recebe uma série de ações diariamente. (...) Vai ser dado o devido despacho por parte do MP. Despachando começa, desde que haja indicativo para investigar, vai ser investigado", declarou Bolsonaro.

Wajngarten é sócio majoritário de uma empresa que recebe dinheiro de emissoras e de agências de publicidade contratadas por sua própria pasta e por outros órgãos do governo federal, conforme revelou o jornal Folha de S.Paulo.

A prática é proibida por lei. Desde que a revelação foi feita, em 15 de janeiro, o ministro deu explicações e o presidente Bolsonaro saiu em defesa dele.

Política