PUBLICIDADE
Topo

Wajngarten nega favorecimento a agência

O chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten - André Coelho/Folhapress
O chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten Imagem: André Coelho/Folhapress

Gabriel Caldeira

São Paulo

20/01/2020 11h01

O chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) do governo, Fabio Wajngarten, foi ao Twitter para rebater reportagem da Folha de S.Paulo que revelou que a agência de publicidade Artplan, cliente de sua empresa privada FW Comunicação, passou a receber a maior parte da verba publicitária redistribuída pela Secom em 2019.

Ao reproduzir trechos de nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República enviada ao jornal, Wajngarten negou que a Artplan tenha se tornado o grupo com maior volume de recursos de publicidades por ser cliente de sua empresa.

Segundo o secretário, "a Artplan ganhou uma concorrência interna entre as agências com contratos com a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República realizada na gestão anterior".

Segundo a reportagem, os valores repassados à Artplan pela Secom aumentaram em 36%, passando de R$ 51,5 milhões em 2018 para R$ 70 milhões entre abril e dezembro de 2019, período com Wajngarten no comando do órgão.

O secretário também enfrenta acusações de que sua participação na FW Comunicação, empresa da qual detém 95% das ações, configure conflito de interesses ante suas funções no governo.

A questão será avaliada pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República na próxima reunião do colegiado, marcada para o próximo dia 28 de janeiro.

Política