PUBLICIDADE
Topo

Bastidores: Covas intensifica preparo para jogo duro da campanha eleitoral

Marco Britto

Do UOL, em São Paulo

28/01/2020 04h04

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), esteve nesta segunda-feira no centro do programa Roda Viva, exibido pela TV Cultura. Falou de política e trabalho, dois assuntos que sempre fazem parte do discurso do tucano, que não deixa de despachar mesmo durante as sessões de quimioterapia que enfrenta, que duram 30 horas em média.

O prefeito chegou a sair de uma dessas sessões e ir para a prefeitura trabalhar mais, segundo contam interlocutores. "À academia ele só foi no dia seguinte." No final de outubro, Covas foi diagnosticado com câncer na cárdia, transição que liga o esôfago ao estômago.

O tucano frisou durante o programa que não desobedece os doutores, mas é fato que já toma certas precauções contra a sobrecarga. Hoje está proibido de atividades físicas e evita grandes aglomerações.

Candidato à reeleição, tentou separar a atual gestão de uma desejada próxima, mas o espírito político falou mais alto. Analisando possíveis coligações, disse que não tem preconceito — aceita apoio e votos tanto do PT quanto de Bolsonaro (sem partido). Porém em sua primeira fala já desferiu críticas à gestão de Fernando Haddad (PT), que segundo o prefeito, deixou um rombo de R$ 7 bilhões nas contas do município.

"Ele está com a cidade na mão, no PSDB nem se fala em outro nome", afirma ao UOL o presidente nacional do partido, Bruno Araújo, sobre a candidatura de Covas. Segundo o ex-ministro das Cidades no governo Temer, o atual prefeito só não disputa as eleições deste ano se decidir ele mesmo abdicar da candidatura.

Para membros da equipe do prefeito, "não há plano B".

Sobre a composição da chapa, o nome do vice permanece um assunto o qual seria cedo demais para ventilar, como disse Covas em frente às câmeras. Araújo enaltece a parceria com o DEM no plano nacional e não descarta uma dobradinha na capital, mas fala ainda de forma evasiva. "Os nomes estão no mercado."

A saúde do prefeito

Covas apresentou disposição no debate e nos bastidores. Cumprimentou todos os presentes nos corredores com apertos de mão. Sua equipe se encarregou que todos tivessem previamente uma dose de álcool gel, o que é compreensível. Perguntas da reportagem do UOL foram vetadas para não "cansar" o prefeito.

A oitava sessão de quimioterapia do prefeito está programada para daqui a 15 dias, quando então uma avaliação determinará a necessidade de uma cirurgia. De olho nas urnas e no esforço da campanha, Covas prevê que ainda nas prévias partidárias, quando a candidatura deve ser oficializada, isso tudo já serão "águas passadas".

Perguntado se a urgência e a natural reflexão devido ao câncer o fez desanimar frente às picuinhas da política, foi taxativo: "Parar, desistir? Nunca!"

Aproveitou as deixas e pediu votos. Em meio a uma crítica sobre "falta de conexão" entre prefeitura e cidadãos, emendou: "Sempre pode melhorar, por isso quero mais quatro anos." Os comerciais entram, os jornalistas riem da malandragem do prefeito e ele tira onda: "Não sou apenas um rostinho bonito, tenho conteúdo."

Covas se disse "sem preconceito" e evitou delinear alianças para as eleições deste ano - Marco Britto/UOL
Covas se disse "sem preconceito" e evitou delinear alianças para as eleições deste ano
Imagem: Marco Britto/UOL
Secretário "ex-petista"

Quando o tema PT voltou à tona, sendo citados secretários do tucano que tiveram ligações com o partido de Lula no passado, Covas defendeu perfis em detrimento de bandeiras.

O secretário de Cultura, Alê Youssef (sem partido), que já foi filiado ao PT e também esteve no estúdio nesta segunda-feira, afirmou ao UOL que o prefeito "tratou desse assunto como ele merece ser tratado: Não é assunto."

Sobre o Carnaval em São Paulo, o secretário adiantou que neste ano o Largo da Batata, na zona oeste da cidade, deve ficar livre de grandes aglomerações.

Moda e futebol

Logo na chegada, Covas brincou sorrindo sobre seu "look" para a ocasião — usava sapatos, mas não meias. Mais tarde ouviria de um admirador: "É o prefeito mais moderno e elegante que São Paulo já teve!"

No estúdio, o prefeito queria saber sobre Guarani x Santos pelo Campeonato Paulista. Aos 20 minutos do segundo tempo, o time do litoral estava cedendo empate. Brincou-se que o placar desanimaria o entrevistado, que então tinha uma hora e meia de sabatina pela frente.

Vinte minutos depois, logo antes do início da entrevista ao vivo na TV, veio a notícia da vitória. Aos 48 minutos do segundo tempo, o time do prefeito, e de muitos, marcara o gol decisivo.

Talvez inspirado em sua equipe do coração, Covas treina pesadamente para uma partida difícil, em que seu preparo físico será decisivo para manter o ritmo de jogo até as eleições.

Política