PUBLICIDADE
Topo

Covas promete "brigar até o final" por expulsão de Aécio do PSDB

Do UOL, em São Paulo

27/01/2020 23h06Atualizada em 28/01/2020 00h56

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, voltou a criticar a presença do deputado federal Aécio Neves no PSDB. Durante sua participação no Roda Viva, da TV Cultura, Covas disse ainda estar incomodado com a permanência do ex-senador, acusado de corrupção e obstrução de Justiça.

"Continuo incomodado com a presença de Aécio Neves. [Mas] Só faltava eu, que estou defendendo a ética, ter que sair para ele ficar", disse Covas. "Vou brigar até o final para ele sair. É muito difícil, para mim, estar no mesmo partido que ele. Agora, estou no PSDB desde os meus 16 anos de idade, vou continuar a lutar", acrescentou.

Questionado sobre os correligionários José Serra e Aloysio Nunes, cujos nomes também apareceram em denúncias de corrupção, Covas defendeu que sejam feitas investigações sobre todos os casos.

"Denúncia tem sobre todo mundo. Que se investigue o Serra, que me investigue, nenhum problema em relação a isso. Mas não tem áudio dessas pessoas pedindo dinheiro, isso não tem explicação", respondeu o prefeito, fazendo referência ao caso de Aécio.

O adversário de Dilma Rousseff (PT) nas eleições de 2014 é réu sob a acusação de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Aécio teria pedido e recebido R$ 2 milhões em propina do empresário Joesley Batista, dono da JBS. A negociação teria sido feita durante um encontro dos dois no Hotel Unique, na zona oeste de São Paulo, registrado em áudio pelo empresário.

Nova x velha política

Prefeito mais jovem a tomar posse desde a redemocratização, Covas disse não se identificar como representante nem da "velha", nem da "nova" política, ressaltando não ter vergonha de dizer que é, de fato, político.

"Faço política porque acredito na política, acho que ela muda a realidade. Acho que essa disputa entre nova e velha política nada mais é do que [entre] fazer política com seriedade ou sem. É a mesma disputa que se teve há muitos anos, do 'rouba, mas faz'", opinou.

O prefeito, que luta contra um câncer desde outubro do ano passado, ainda disse não pensar em desistir da carreira por conta de sua saúde. "[A doença] Me fez pensar nas pessoas que passam pelo que estou passando e não tem as oportunidades que tenho. Toda profissão exige desafios, eles estão aí para ser enfrentados", disse Covas.

Política