PUBLICIDADE
Topo

Criticado no carnaval, Bolsonaro posta imagens de apoiadores na folia

Carro mostra o presidente com rosto de palhaço e arma na mão - LUIZ GOMES/ ESTADÃO CONTEÚDO
Carro mostra o presidente com rosto de palhaço e arma na mão Imagem: LUIZ GOMES/ ESTADÃO CONTEÚDO

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

25/02/2020 13h06

Resumo da notícia

  • Escolas de samba fizeram críticas ao presidente
  • Filhos de Bolsonaro rebateram nas redes sociais
  • Agora, presidente mostra apoiadores na folia

Criticado no carnaval do Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi às redes sociais nesta terça-feira (25) publicar imagens de apoiadores na folia.

Ele divulgou um vídeo de pessoas dançando com a camiseta do partido que pretende criar, o Aliança pelo Brasil. Dançavam a música "Sorte grande", consagrada na voz de Ivete Sangalo. Na legenda, Bolsonaro identificou os militantes como o "Bloco Aliança Pelo Brasil", em Camboriú (SC).

Na sequência, o presidente publicou uma imagem compartilhada por um perfil de extrema-direita no Facebook. Mostra bonecos de carnaval imitando Bolsonaro e seus ministros. O presidente identifica as pessoas como foliões em Olinda (PE). "Obrigado pela consideração, Olinda-PE!". O UOL não conseguiu confirmar se as imagens se se referem ao carnaval deste ano.

No ano passado, o presidente causou polêmica ao divulgar a imagem de um homem urinando sobre o outro (golden shower) no carnaval de 2019.

Mangueira critica "Messias de arma na mão"

Este ano, a escola de samba do Rio Mangueira fez uma crítica indireta a Bolsonaro.

Campeã do ano passado, a agremiação fez um samba enredo intitulado "A verdade vos fará livre". É uma paródia ao versículo da Bíblia mais repetido pelo presidente: João 8:32.

Um dos trechos da canção diz: "Favela, pega a visão/ Não tem futuro sem partilha/nem Messias de arma na mão". O enredo traça a história de Jesus Cristo e critica o fundamentalismo religioso.

A TV Globo, sempre criticada pelo presidente, ignorou o protesto. Não houve nenhum comentário sobre o "Messias de arma na mão", exibido pela Mangueira.

Palhaço com faixa presidencial exibia arma

A Acadêmicos de Vigário Geral exibiu um boneco de terno e gravata com faixa presidencial e arma na mão. O rosto da alegoria era o de um palhaço. Segundo o jornal o Globo, o público se dividiu. Em determinados momentos havia mais aplausos do que vaias; em outros, o inverso ocorria.

O ator e comediante Marcelo Adnet estrelou o desfile da São Clemente. Vestido com terno azul brilhante e gravata verde-amarela, ele zombou de Bolsonaro. Adnet fazia flexões e gestos como se estivesse disparando uma arma imaginária, imitando o presidente.

Em São Paulo, a escola Mancha Verde defendeu o bicampeonato fazendo críticas aos ministros da Economia, Paulo Guedes, e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Filhos rebatem críticas ao pai

O filho mais velho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), criticou o carro da escola Acadêmicos de Vigário Geral. Ele compartilhou o texto de um blog segundo o qual houve vaias quando o boneco armado passou diante da plateia no Sambódromo. "População já escolheu o seu lado!", disse o político em rede social. "Presidente @jairbolsonaro fazendo história e resgatando o nosso Brasil!!"

Outro filho do presidente também protestou. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) compartilhou texto de um apoiador com a imagem do palhaço armado. O militante dizia: "As escolas de samba insistem em acabar com a imagem do presidente". E continuava: "É de conhecimento geral que escolas de samba são envolvidas e sustentadas por milícianos, tráficantes e bicheiros (sic)".

Já o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) publicou um texto de um terceiro para ironizar as queixas contra o pai durante os dias de folia. "O palhaço queria fornecer carteiras estudantis de graça... o diabo não gostou...", inicia o texto.

Na Alemanha, presidente 'risca' fósforo gigante

Bolsonaro ainda foi tema de um carro alegórico na Alemanha. A alegoria critica o desmatamento na Amazônia, mostrando o presidente segurando um palito de fósforo gigante e árvores carbonizadas.

O presidente passa o carnaval em Guarujá (SP), no litoral de São Paulo, com a filha caçula. A esposa, Michelle Bolsonaro, ficou em Brasília. A previsão é que Jair Bolsonaro retorne à capital na quinta-feira (27).

Política