PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro compara novo coronavírus a gravidez e mantém distância de público

Presidente se manteve afastado do público hoje no Planalto enquanto espera resultado de exame para novo coronavírus - Reprodução
Presidente se manteve afastado do público hoje no Planalto enquanto espera resultado de exame para novo coronavírus Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

17/03/2020 17h51

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), comparou hoje a pandemia do novo coronavírus a uma gravidez. A declaração foi dada no fim da tarde, no Palácio do Planalto, em conversa com a imprensa e com apoiadores presentes — dos quais manteve distância.

"É como uma gravidez, uma hora vai nascer a criança", disse o presidente. "O vírus um dia ia chegar ao Brasil e acabou chegando", completou.

Bolsonaro passou por novos exames referentes ao novo vírus, cujo resultado deve sair amanhã. Ele prometeu divulgar o diagnóstico "sem problema nenhum".

Ao fim da entrevista coletiva, Bolsonaro recebeu orações e cânticos religiosos de apoiadores que estavam nas proximidades. No entanto, evitou se aproximar os populares — diferente do comportamento adotado no domingo (15), quando se aproximou do público que participava de manifestações.

"Estou evitando chegar muito perto. Vai sair mais um exame meu, vão me chamar de inconsequente", explicou.

Preocupação econômica

Frente aos jornalistas, o presidente pediu novamente para que a população evite "histeria". "Não pode ter histeria. Se for ter histeria, todo mundo ficar maluco, as consequências vão ser as piores possíveis. Tem lugar que tem saque ocorrendo, isso pode vir para o Brasil", disse.

Bolsonaro também garantiu que, em meio à preocupação com a pandemia no Brasil, trabalha para manter a economia sob controle. "Se o pânico chegar no meio da população, tudo fica pior. Estamos preocupados com questão humanitária, de vidas, mas também com a questão econômica", disse aos repórteres.

"Se o Brasil parar, vai ser um caos. Vai morrer muito mais gente fruto de uma economia que não anda do que do próprio coronavírus", acrescentou.

Coronavírus