PUBLICIDADE
Topo

SP, Rio e Brasília têm panelaço durante entrevista de Bolsonaro

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, passa álcool gel nas mãos do presidente Jair Bolsonaro - Pedro Ladeira/Folhapres
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, passa álcool gel nas mãos do presidente Jair Bolsonaro Imagem: Pedro Ladeira/Folhapres

Do UOL, em São Paulo

18/03/2020 15h05Atualizada em 18/03/2020 16h10

A entrevista coletiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao lado de diversos ministros, em Brasília, teve registros de panelaço na tarde de hoje. Protestos barulhentos já haviam acontecido ontem à noite, e se repetiram ao menos em São Paulo, Rio de Janeiro e na capital federal, conforme foi registrado em redes sociais.

O panelaço de ontem foi motivado pela notícia de que o governo pediu ao Congresso Nacional que reconheça estado de calamidade pública, com gritos de "fora, Bolsonaro!" e panelas em bairros das mesmas cidades. O ato aconteceu na véspera de outro já "oficial", que estava marcado para hoje.

O plano original era para que acontecesse um ato contra Bolsonaro e em defesa da educação, das estatais e do serviço público. O protesto foi cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus e, desde então, movimentos espontâneos começaram a convocar pessoas para participar de um panelaço às 20h30.

Jair Bolsonaro reagiu convocando uma manifestação ao seu favor, também com panelaço, mas às 21h.

Política