PUBLICIDADE
Topo

Política

Coronavírus: Mandetta parabeniza governador que enfrentou bolsonaristas

Ronaldo Caiado pediu responsabilidade aos militantes pró-Bolsonaro que protestavam nas ruas - Reprodução/Youtube
Ronaldo Caiado pediu responsabilidade aos militantes pró-Bolsonaro que protestavam nas ruas Imagem: Reprodução/Youtube

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

22/03/2020 16h18

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), parabenizou o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), por enfrentar manifestantes a favor de Jair Bolsonaro (sem partido) que faziam aglomeração nas ruas em meio à pandemia do coronavírus no domingo passado (15). Caiado é médico ortopedista e um dos maiores aliados do Planalto.

"Dentro do plano que vocês tem aí, conversa com o governador... Aliás, parabeniza aí o governador Caiado aquele dia das pessoas, ele ter ido como médico", iniciou Mandetta, em teleconferência com prefeitos neste domingo (22). "Achei aquela atitude dele muito digna, muito correta naquele momento, e dizer que nós estamos prontos para ajudar", continuou o ministro, que também é ortopedista.

No domingo passado (15), Caiado disse que os manifestantes estavam colocando a saúde deles e de outras pessoas em risco. Ele foi vaiado pelos militantes bolsonaristas. Teve que gravar um vídeo para dizer que, assim como os militantes, sempre é de direita, mas que colocava a saúde das pessoas acima das disputas políticas.

Dias antes da manifestação, em 11 de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou a pandemia de coronavírus. A doença covid-19 tem mais de 1.000 casos apenas no Brasil.

Veja a declaração do ministro da Saúde (tempo 2h20min53seg)

As manifestações do domingo passado eram em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. No entanto, vários militantes empunhavam bandeiras de fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente da República afirmou que o movimento era "a favor do Brasil". Bolsonaro participou dele e apertou a mão de centenas de pessoas apesar de, naquele momento, estar em observação por ter voltado dos EUA. Nessa viagem, 22 pessoas da comitiva de Bolsonaro contraíram covid-19.

Política