PUBLICIDADE
Topo

Após Bolsonaro criticar governadores, Witzel diz que ele contraria OMS

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro - Dikran Junior/Futura Press/Estadão Conteúdo
Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro Imagem: Dikran Junior/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

24/03/2020 22h24

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), criticou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por contrariar as determinações da Organização Mundial de Saúde [OMS] e pedir a reabertura de escolas e comércio, e o fim da quarentena decidido por alguns governadores.

Em discurso feito hoje em rede nacional, o presidente, além de falar novamente que o coronavírus não passa de uma "gripezinha" e de atacar a imprensa, atacou governadores por determinarem quarentena em diversos estados brasileiros.

"A manifestação em cadeia em rádio e televisão do presidente da República contraria as determinações da Organização Mundial de Saúde [OMS]. Nós seguiremos firmes seguindo as orientações médicas. Eu peço a você, por favor, que fique em casa", disse Witzel.

Durante os pouco mais de cinco minutos de fala do presidente, vários panelaços contra o presidente Bolsonaro foram realizados em cidades brasileiras.

"O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar, empregos devem ser mantidos, o sustento das famílias deve ser preservado, devemos, sim, voltar a normalidade", disse o chefe do Executivo.

Amanhã, Bolsonaro vai se reunir com os governadores do Sudeste — que inclui Witzel — para decidir novas medidas, principalmente econômicas, sobre como o Brasil vai seguir encarando o coronavírus.

Política