PUBLICIDADE
Topo

Doria não endossa impeachment: 'Cabe ao Congresso Nacional'

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 13h15

Os últimos movimentos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que voltou a chamar a covid-19 de "gripezinha" e defendeu que as pessoas voltem às ruas, suscitou um questionamento sobre impeachment. Apontado como principal polo divergente do presidente, o governador João Doria (PSDB) defendeu que a decisão cabe ao Congresso Nacional.

Doria não quis se alongar no tema, mas não deixou de citar o desgaste do presidente. Acrescentou que também que cabe à opinião pública a manutenção ou impedimento de um presidente. Em seguida, lembrou que pesquisa do Datafolha desta semana mostrou que o desempenho de Bolsonaro na crise da covid-19 é considerado pior que dos governadores.

O ápice das diferenças entre Bolsonaro e Doria se deu em reunião na manhã de hoje entre o o governo federal e governadores da região Sudeste. Bolsonaro disse que Doria tem interesses eleitorais, sugeriu que ele toma medidas mirando a presidência em 2022 e afirmou que não tem altura para o cargo. O presidente disse estas palavras em tom bastante exaltado.

As críticas ocorreram nas duas vezes em que dialogou com Doria. Nas vezes em que conversou com os demais governadores, Bolsonaro foi equilibrado. Diante das críticas, o governador de São Paulo lamentou a atitude do presidente com ele e também por defender afrouxamento das medidas.

"O equívoco da manifestação do PR Jair Bolsonaro. lamento que prefira escutar o chamado gabinete do ódio ao posicionamento do bom senso", afirmou.

Coronavírus